Médico estrangeiro é sequestrado por homens armados no norte do Iêmen

Sequestros são frequentes no país. Em sua maioria são perpetrados por tribos que usam os reféns para pressionar o governo

Por O Dia

Iêmen - Um médico estrangeiro foi sequestrado neste domingo por um grupo de homens armados na cidade de Marib, no nordeste do Iêmen, informou o Ministério iemenita de Interior. O Ministério indicou em comunicado que o médico, que trabalhava como anestesista no principal hospital governamental dessa cidade, é de nacionalidade russa, apesar de fontes de segurança terem dito à Agência Efe posteriormente que o médico é do Uzbequistão.

As forças de segurança fecharam todos os acessos a Marib, capital da província homônima, e iniciaram a busca pelo estrangeiro e seus sequestradores. Vários médicos de antigas repúblicas soviéticas que permaneceram no país, apesar da onda de sequestros, porque consideram que estão a salvo sendo muçulmanos, frente a outros especialistas que abandonaram o país.

Só em fevereiro, grupos armados iemenitas sequestraram separadamente uma médica tcheca liberada horas depois, um alemão e dois britânicos. Em 25 de março, dois empregados italianos do escritório das Nações Unidas no Iêmen foram postos em liberdade após serem sequestrados durante algumas horas. Os sequestros de estrangeiros são frequentes no Iêmen e em sua maioria são perpetrados por tribos que usam os reféns para pressionar o governo de Sana para que responda a seus pedidos.

O Iêmen, país mais pobre da península Arábica, ficou mais instável desde que ocorreram os protestos em 2011 contra o então presidente Ali Abdullah Saleh, que cedeu o poder em fevereiro de 2012 a Abdo Rabbo Mansour Hadi.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência