Chile investiga se incêndio foi causado por ação humana

Governo vai reconstruir ao mesmo tempo cidade atingida pelo fogo e área de terremoto

Por O Dia

Chile - O governo da presidenta do Chile, Michelle Bachelet, anunciou que vai iniciar reconstruções simultâneas do norte do país, atingido por terremoto há duas semanas, e da cidade histórica de Valparaíso, que está sendo consumida por fogo desde domingo. A polícia chilena investiga uma possível ação humana no incêndio, que já deixou 12 mortos, oito mil desabrigados, dez mil deslocados e destruiu totalmente duas mil casas.

Incêndio florestal em Valparaíso%2C no Chile%2C destruiu cidade e matou várias pessoas. Acidente com causa ainda desconhecida%2C ocorreu em cinco montanhas da cidade portuáriaEfe

Ontem, participam do controle dos focos do incêndio 13 helicópteros, sete aviões e dois mil militares e policiais. As autoridades esperam controlar o fogo entre 48 e 72 horas. Depois, além de investigar a origem das chamas, vão avaliar os danos e estabelecer as tarefas de reconstrução. Na área afetada, muitas pessoas vivem em casas de madeira e outros materiais frágeis.

“Sabemos que é um teste enorme para as famílias afetadas, mas podem estar certos de que estamos disponibilizando todos os recursos para lidar com essa tragédia, para começar a realocação das famílias e a segunda fase de reconstrução”, declarou Bachelet ontem. Ela estuda a possibilidade de construir casas, fornecer subsídios para aluguel e ajuda para aqueles que foram morar com parentes.

Muitas pessoas perderam todos os pertences, já que o fogo se propagou muito rápido. O acúmulo de lixo nas colinas, onde começou o incêndio, também contribuiu.

O acidente, que até ontem atingira 270 hectares, começou como incêndio florestal, mas o vento fez com que se propagasse para regiões povoadas. Valparaíso, no litoral do país, é rodeada por dezenas de morros. Terceira cidade mais populosa do Chile, com cerca de 300 mil habitantes.

“Este é talvez o pior incêndio na história de Valparaíso, e todos sabemos muito bem o impacto que isso tem na vida de muitos”, disse Michelle Bachelet.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência