Pistorius mostra cartão romântico que ganhou de Reeva na noite de sua morte

Promotor concluiu interrogatório e pediu adiamento do tribunal que julga atleta pelo assassinato da namorada

Por O Dia

África do Sul - Oscar Pistorius continua negando ter tido a intenção de matar a namorada e mostrou um cartão de "Dia dos Namorados" que a modelo fez para ele. O promotor no tribunal do tribunal que julga o atleta pelo assassinato de Reeva Steenkamp, concluiu o interrogatório nesta terça-feira e pediu o adiamento do julgamento até 5 de maio.

"Ela estava no banheiro e você se armou com o propósito de atirar e matá-la",completou o prmotor."Isso não e verdade", disse Oscar Pistorius, de 27 anos.

Oscar Pistorius insiste que ele e Reeva estavam apaixonados e em um relacionamento estável, apesar algumas mensagens de texto lidas no tribunal apontarem outras evidências. Ele chegou a ler um cartão de Dia dos Namorados que Reeva deu para ele antes de sua morte."Rosas são vermelhas, violetas são azuis," o cartão começa. "Acho que hoje é um bom dia para te dizer que eu te amo", conclui a mensagem, a última parte nas próprias palavras de Steenkamp.

'Acho que hoje é um bom dia para te dizer que eu te amo', diz cartão dado por Reeva a PistoriusReprodução Internet

Gerrie Nel disse novamente que Pistorius matou a modelo deliberadamente após uma discussão. "Você disparou quatro tiros através da porta sabendo que Reeva estava atrás dela", disse Nel. O promotor é famoso por ser considerado implacável e conhecido na África do Sul como "Pitbull" pelo seu estilo de interrogatório.

Pistorius já chorou por diversas vezes durante o julgamento e chegou a vomitar após ver imagens dos ferimentos de Reeva. Ele insiste que matou a modelo de 29 anos por acidente após confundi-la com um ladrão. Na última semana ele declarou que ouviu um barulho vindo do banheiro e atirou para proteger Reeva.

"Estava aterrorizado e vulnerável", disse o velocista paralímpico. Ele explicou que puxou o gatilho por reflexo. "Não pensei a respeito, assim que ouvi o barulho, puxei o gatilho".

Antes do crime, Pistorius era um dos atletas sul-africanos mais admirados e um exemplo de superação. O velocista e medalhista paralímpico usa próteses de fibra de carbono que lhe renderam o apelido de "Blade Runner".

Após o interrogatório do promotor, a defesa passou a questionar sua terceira testemunha, sendo provável que o julgamento continue no próximo mês.

Oscar Pistorius (no meio) na chegada ao tribunal em PretóriaReuters


*Com informações da Reuters

Últimas de _legado_Mundo e Ciência