Por bferreira

Rio - Usar ou não xampu na hora de lavar as madeixas virou tema de polêmica. Trata-se do movimento ‘low poo/no poo’ (‘pouco ou nenhum xampu’, em português). Nas redes sociais, diversos grupos defendem a redução do uso do produto, já que muitos teriam substâncias nocivas ao cabelo. Do outro lado da discussão, especialistas afirmam que não há riscos.

Adeptas não confiam nos xampus%2C mas especialistas dizem ser bobagem iStockphoto

O movimento, que nasceu nos Estados Unidos, é formado por mulheres que defendem a restrição do uso de xampus convencionais. Elas afirmam que o componente lauril éter sulfato de sódio, popularmente conhecido como ‘detergente’ e presente na maioria das marcas, danifica os fios. No Brasil, um dos grupos do Facebook já tem 16 mil participantes.

A estudante Thais Lemos, 20 anos, conheceu a filosofia através da mãe. Após descobrir que os xampus tradicionais têm detergente, ela resolveu adotar a versão sem sulfato, que considera menos agressiva. Além disso, a estudante só lava o cabelo a cada dois dias.

“Procurei em sites e fiquei viciada no assunto. Faço ‘low poo’ há um mês. Sinto que meu cabelo está mais brilhoso”, afirma.

Já a farmacêutica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Vânia Leite afirma que o lauril éter não faz mal e é autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segundo ela, trata-se de um sabão que atua tirando a sujeira e o excesso de oleosidade do couro cabeludo. “Os produtos passam por diversos testes científicos antes de ir para as lojas”, aponta.

A dermatologista Danielle Medeiros, do Hospital Badim, no Rio, alerta que o acúmulo de sujeira e oleosidade provoca dermatite seborreica, que causa inflamação, vermelhidão e escamação da pele. Para os alérgicos a certas substâncias, a dica é usar xampus para crianças, por serem suaves.

Sobre as receitas caseiras, como vinagre e limão na higiene, Vânia explica que não há embasamento científico. “Parecem naturais, mas enganam. Há risco de contaminação e queimaduras”, adverte.

Você pode gostar