Por julia.sorella

EUA - O Departamento de Estado dos EUA disse nesta segunda-feira que está analisando a veracidade do vídeo no qual um líder do grupo terrorista Boko Haram diz que sequestrou mais de 200 colegiais na Nigéria.

"O vídeo parece ser legítimo e nossa equipe está analisando", explicou nesta segunda-feira a porta-voz adjunta do Departamento de Estado, Marie Harf. "(O vídeo) demonstra a horrível natureza do que fizeram e por que precisamos encontrar estas meninas e devolvê-las para casa", explicou a porta-voz.

A milícia radical islâmica Boko Haram reivindicou nesta segunda a autoria do sequestro das meninas em uma escola em Chibok, no noroeste da Nigéria, que aconteceu em 14 de abril, e das 276 que ainda permanecem sequestradas, segundo a polícia nigeriana. "Eu que as sequestrei", disse o líder do grupo armado, Abubakar Shekau, em um vídeo divulgado nesta segunda em que também diz que venderá as menores.

Mulher participa de protesto exigindo libertação de meninas que foram raptadas na NigériaReuters

Segundo a imprensa americana, o secretário de Justiça, Eric Holder, pediu ao FBI que envie agentes para contribuir na investigação do sequestro. O Departamento de Estado garantirão que continuarei dando assistência antiterrorista ao governo nigeriano, embora o governo americano tenha descartado nesta segunda o envio de forças especiais ao país para ajudar na libertação.

"Vamos fazer tudo o que pudermos para ajudar a Nigéria em seus esforços para encontrar e liberar essas jovens", explicou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, que não detalhou de que forma se traduzirá a contribuição americana. Boko Haram, que na língua local significa "a educação não islâmica é pecado", luta para impor a "sharia", a lei islâmica na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristã no sul.

Você pode gostar