Por clarissa.sardenberg

Estados Unidos - A rede social Facebook se viu envolvida em severas críticas por se recusar a remover compartilhamentos de suicídio feitos por um ex-fuzileiro naval no último domingo. Apesar dos apelos desesperados da família e amigos de Daniel Rey Wolfe as imagens continuaram disponíveis até esta quarta-feira após ele ter tirado a própria vida em Tulsa, no estado de Oklahoma, nos Estados Unidos.

Inicialmente, o Facebook informou à família de Wolfe que as imagens perturbadoras de perfurações profundas nas pernas acompanhadas por legendadas com mensagens de adeus não violavam os padrões da comunidade ou eram ofensivos ao veteranos de guerra, segundo o tabloide Daily Mail.

Segundo uma investigação do site americano Gawker, o Facebook justifica não retirar as fotografias porque elas fariam uma distinção entre os casos de alguém que está documentando sua auto-mutilação ao contrário de quem vise promover mutilação a outros.

Ex-fuzileiro Daniel Rey Wolfe cometeu suicídio e postou imagens aterrorizantes no Facebook Reprodução Internet

Parentes e amigos ficaram completamente em pânico ao se depararem com quatro postagens feitas por Wolfe - uma contendo a imagem de uma garrafa de vodka pela metade, seguida de outras três mostrando onde ele tinha se cortado.

"A única luta que perdi foi para mim mesmo", escreveu Wolfe no último domingo à noite. "Quando meu corpo não se movimentar mais me deem um funeral de viking", completou.

Wolfe serviu como fuzileiro naval entre 2004 e 2008, incluindo uma missão no Iraque. Ele era apaixonado por design gráfico e vinha lutando para se estabelecer desde que voltou da guerra. Ele já teria sido preso duas vezes na Califórnia por excesso de velocidade. 

Os amigos começaram a tentar entrar em contato com a associação de veteranos de guerra e postar mensagens falando para o ex-fuzileiro parar com o que estava fazendo.

"Amigo, vamos lá. Você é melhor que isso. Nós todos estamos aqui para te ajudar. Você está buscando a saída pelo caminho errado. Como podemos ajudar? Fale comigo!", dizia um comentário desesperado em uma das postagens suicidas.

Ex-fuzileiro postou foto da perna mutiladaReprodução Internet

Um porta-voz do Facebook que conversou com a publicação explicou que "foram aconselhados por especialistas que a remoção de conteúdo do espaço pode ser prejudicial" em casos como esse. Em essência, se eles removerem o que podem ser "gritos de socorro", em seguida, a família e amigos não terão como intervir.

A última imagem postada por Wolfe é assustadora e mostra sua perna mutilada, segundo o Daily Mail. "Eu estou vazando bem agora", escreveu ele.

A polícia local encontrou Wolfe morto em uma casa desocupada nesta terça-feira à noite e informou à família. No entanto, os últimos trágicos fotos que ele postou ainda estavam no Facebook e por isso a sua família pediu ao site de mídia social para removê-los.

O Gawker foi contatado pela família depois de que suas tentativas de relatar as imagens do suicídio de Wolfe foram repelidas. A família critica o posicionamento da rede social que agradece por "tentar fazer do Facebook um lugar mais seguro", mas ao mesmo tempo diz que as imagens não violam seus "termos e condições".

Apesar de aceitar a justificação do Facebook que as imagens postadas por pessoas em dificuldades podem ser extremamente importantes, amigos e familiares de Wolfe querem saber por que as fotos de um homem morto não poderiam ser removidas.

A rede social respondeu que, nestes casos, a família é contatada e questionada se quer manter a página do parente falecido em memorial ou se deve ser eliminada.

Neste caso, no entanto, a família de Wolfe estava preocupada com o tempo que as imagens ficaram disponíveis na web.

Eventualmente, mesmo que as fotos, aparentemente, não violem os padrões do Facebook, elas só foram removidas porque a família pediu.

"Estamos tristes com esta tragédia e queremos oferecer nossas mais profundas condolências aos amigos e à família do Sr. Wolfe, particularmente aqueles que trabalharam tão rapidamente para alcançá-lo durante a sua hora de necessidade", disse um porta-voz do Facebook em resposta à tragédia e polêmica.

"Assim que as pessoas relataram estas mensagens e fotos para o Facebook, nós imediatamente tentamos conectar Mr. Wolfe com recursos específicos de prevenção do suicídio. Seus amigos entraram em ação e notificaram a polícia, bem como a Linha de Crise dos Veteranos (serviço de emergência para veteranos de guerra). Apesar de sua rápida resposta, fomos notificados da morte de Mr. Wolfe e pudemos despublicar seu perfil", completou.

"Quem quer ver seu filho, irmão, primo, amigo, assim?", questionou um amigo de Wolfe ao Gawker. "Eles (Facebook) removem imagens de seios expostos com rapidez . Como isso pode ser mais perigoso do que um jovem se mutilando antes de cometer suicídio?", completou.

Você pode gostar