Por felipe.martins

Rio - A ONU condenou ontem o governo da Venezuela por ‘uso excessivo da força’ na ação de quinta-feira, em que militares contiveram protestos considerados pacíficos, em Caracas. A Guarda Nacional desfez quatro acampamentos de manifestantes e prendeu 243 jovens universitários.

O porta-voz das Nações Unidas analisou que a polícia desalojou “movimento que acampava pacificamente”, e pediu que o governo garantisse que “pessoas não sejam penalizadas por exercerem o direito de se reunir pacificamente e a liberdade de expressão”.

A Justiça do país começou ontem a ouvir depoimentos dos opositores ao governo do presidente Nicolás Maduro presos.Familiares deles se reuniram em frente ao Palácio da Justiça em busca de informações sobre os estudantes. Representantes do presidente afirmam que os direitos humanos dos presos estão resguardados.

No entendimento do governo venezuelano, os acampamentos eram ilegais e neles foram encontradas drogas, armas e bombas. Os opositores estão acampando para forçar o presidente a renunciar ao cargo. Em fevereiro e março, eles recorreram a protestos violentos, quando choques com a polícia acabaram matando 42 pessoas. Há alguns dias, mudaram de estratégia e passaram aos acampamentos.

Você pode gostar