Juíza ordena que Pistorius se submeta a exame psiquiátrico

Promotor acusa velocista de matar intencionalmente namorada

Por O Dia

África do Sul - A juíza à frente do julgamento de Oscar Pistorius ordenou nesta quarta-feira que o atleta sul-africano se submeta a um exame psiquiátrico que determine se ele sofre de transtorno de ansiedade generalizada que poderia ter influído em seu comportamento na hora de matar sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp.

A juíza Thokozile Masipa dispôs, a pedido da Procuradoria no julgamento realizado no Tribunal Superior de Pretória, que o acusado seja avaliado para estabelecer se é plenamente responsável por seus atos. A juíza adiou a audiência até a próxima terça-feira, quando apresentará formalmente a ordem para que Pistorius seja posto sob observação psiquiátrica.

Velocista paralímpico Oscar PistoriusReuters

"Está claro que, se parece que o acusado pode sofrer uma doença mental, o tribunal deve agir", afirmou Masipa, que explicou que não se trata de "castigar" o acusado, mas de garantir um "julgamento justo". A resposta da juíza a pedido da promotoria significará o atraso do julgamento - previsto para esta sexta-feira após duas extensões - já que Pistorius deverá ser examinado por 30 dias, informou a emissora de notícias "eNCA", que transmite o processo direto do Tribunal Superior de Pretória.

A defesa havia se oposto a que Pistorius fosse submetido a um exame psiquiátrico, ao considerar que o fato de que sofre um transtorno de ansiedade não significa que não possa diferenciar o bem do mal nem que sofra de uma doença mental, na linha do que declarou a psiquiatra Merryl Vorster nesta semana à juíza.

Vorster testemunhou que Pistorius sofre do transtorno devido à amputação de suas duas pernas quando tinha 11 meses, por causa de um problema genético, e pela separação de seus pais e pela morte de sua mãe durante sua adolescência. O promotor Gerrie Nel pediu nesta segunda-feira - no primeiro dia de depoimento de Vorster - que o acusado fosse submetido a avaliação mental e nesta terça-feira apresentou formalmente seu pedido à Masipa.

Nel acusa Pistorius de mudar seu argumento de defesa ao alegar que seu estado mental influenciou no crime, ocorrido em 14 de fevereiro de 2013. O atleta confessa ter matado Steenkamp a tiros através da porta fechada do banheiro de sua casa de Pretória. No entanto, Pistorius, de 27 anos, alega ter disparado em pânico, ao pensar que sua namorada era um ladrão que havia entrado pela janela do banheiro - mesmo tendo visto que a namorada não estava na cama, o que o atleta diz que só aconteceu depois dos disparos. Nel acusa o velocista de matar intencionalmente Steenkamp, que então tinha 29 anos, após uma suposta discussão ouvida por vários vizinhos chamados a depor pelo promotor.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência