Por bferreira

Rio - Com a meta de aumentar em 15% este ano o volume de leite humano doado no Brasil, o Ministério da Saúde lançou ontem campanha com o slogan ‘Quando você doa leite materno, doa vida para o bebê e força para a mãe’. Em 2013, o país viu minguar suas reservas do alimento, quando 19.521 voluntárias deixaram de doar, o que representa queda de 12% de doadoras em relação ao ano anterior.

Cada litro de leite pode atender até 10 recém-nascidos internados por alimentação. Toda mulher que amamenta pode doar leite para bebês prematuros e de baixo peso. Até mesmo 1 ml já pode beneficiar os recém-nascidos.

A funcionária pública Lívia Albuquerque, 29 anos, já tinha em mente, desde antes de engravidar, que iria doar parte do seu leite. Hoje é mãe de Flora, 7 meses, e doa há três, no Instituto Fernandes Figueira (IFF), da Fiocruz. “Quando soube que viriam em casa com recipientes especiais para colher material, percebi que não teria nem um motivo para não doar”, diz ela.

A campanha deste ano é apoiada por duas madrinhas. Uma, a nutricionista e doadora Andréa Santa Rosa, casada com o ator Márcio Garcia e mãe de quatro filhos. Ela também precisou da doação em sua primeira gravidez, quando teve João, que nasceu prematuro. “Como nutricionista, sei muito bem a importância do aleitamento materno. Ele é único e exclusivo, não precisar dar água, chá, e tem todos os nutrientes fundamentais para a criança, além de ser de fácil digestão”, enfatizou.

A outra é Rany Souza, mãe de Isabela, que nasceu prematura e precisou das doações para ganhar peso, e assim poder ter alta da UTI neonatal.

A campanha será articulada pelas redes sociais e conta com distribuição de folders com mensagens de incentivo a potenciais doadoras.

Leite e calor humano para bebês

A doação de leite é uma das estratégia centrais para o combate à mortalidade na infância (pessoas de 0 até 5 anos). “O Brasil alcançou de 1992 a 2012 uma queda de 77% na mortalidade desse público, graças, entre outras coisas, ao aleitamento materno e aos bancos de leite humano”, comentou o ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante a cerimônia de lançamento da campanha, no IFF.

Ele também anunciou uma nova portaria que estabelece que mães e pais de bebês internados em unidades neonatais do Sistema Único de Saúde vão poder visitá-los 24h por dia, durante todo o período em que os pequenos estiverem na maternidade. Até então, a entrada de responsáveis era permitida apenas em alguns horários.

Na mesma decisão, o ministério aumentou em 17% os investimentos para que os Hospitais Amigos da Criança apliquem em partos normais, e 8,5% para parto cirúrgico.

Você pode gostar