Por clarissa.sardenberg

Vietnã - Uma mulher vietnamita de 67 anos ateou fogo em seu corpo nesta sexta-feira em Ho Chi Minh (antiga Saigon) em protesto contra a plataforma petrolífera que uma empresa estatal chinesa instalou em águas que o Vietnã considera suas. Fontes oficiais informaram em entrevista coletiva que a vítima jogou gasolina em si e, depois, ateou fogo no próprio corpo diante do Palácio da Reunificação, no distrito de Binh Thanh, segundo o jornal local "Thanh Nien".

O filho da mulher afirmou que a mãe não sofria de transtornos, mas que há dias estava incomodada com a atitude do governo da China com relação a plataforma petrolífera construída em águas próximas à Ilha Paracel, que ambos os países reivindicam. A polícia encontrou com o corpo da mulher uma bolsa com vários panfletos de propaganda anti-China e que defendiam o solo pátrio.

Quatro operários da Corporaçãoo Metalúrgica da China morreram na semana passada durante as manifestações anti-China ocorridas na província vietnamita de Ha Tinh, no centro do país.

Desde o início dos protestos, a China retirou mais de seis mil chineses do Vietnã, e recomendou a seus cidadãos que não viajem ao país vizinho. O primeiro-ministro do Vietnã, Nguyen Tan Dung, advertiu nesta quinta, durante seu discurso no Fórum Econômico Mundial (FEM) para a Ásia Oriental realizado em Manila, a capital das Filipinas, que o conflito defensor da soberania com a China pode afetar todo o mundo, "poderia inclusive fazer retroceder a tendência de crescimento global".

O governante vietnamita disse que, desde 1° de maio, 130 navios da China invadem a zona econômica exclusiva do Vietnã, onde, além disso, Pequim construiu uma plataforma petrolífera.

Você pode gostar