Ucrânia confirma ataque para retomar aeroporto de Donetsk de rebeldes

Força aérea usou paraquedistas para expulsar pró-russos

Por O Dia

Ucrânia - As autoridades da Ucrânia confirmaram nesta segunda-feira que a força aérea realizou um ataque no aeroporto de Donetsk para expulsar os rebeldes pró-russos que tentavam assumir o controle do local. "Às 13h locais (7h de Brasília), foi dado um ultimato aos terroristas que, de forma ilegal, tinham entrado no aeroporto de Donetsk. Foi comunicado que, se não atendessem as exigências, as forças ucranianas tomariam medidas de força para libertar o aeroporto", disse um porta-voz ucraniano.

Como a ordem não foi atendida, "lançamos um ataque aéreo sobre as posições dos terroristas", assinalou Vladislav Selezniov, chefe de imprensa da operação das forças ucranianas contra as fortificações separatistas pró-russas. Selezniov disse que, primeiramente, um avião SEU-25 fez disparos de advertência. Depois, segundo ele, um avião Mig-29 lançou um ataque sobre os lugares onde os terroristas se concentravam.

Rebeldes pró-Rússia em combate às forças urcranianasReuters

O porta-voz ucraniano acrescentou que um helicóptero também destruiu uma plataforma antiaérea que atacava os aparatos ucranianos.

O aeroporto internacional de Donetsk teve suas atividades canceladas nesta manhã por exigência dos rebeldes separatistas, que invadiram o recinto e, mais tarde, tomaram o controle. Homens das autodefesas pró-russas se posicionaram nos telhados do aeroporto para fazer frente à ofensiva aérea do Exército ucraniano.

Vários jornais locais informaram que o Exército usou unidades de paraquedistas na zona para oferecer resistência os separatistas, enquanto testemunhas dizem ter ouvido inúmeros tiroteios e explosões no local.

Aeroporto de Donetsk%2C na UcrâniaReuters

A imprensa russa informou que um depósito com lubrificantes, situado junto ao aeroporto e que supostamente pertencente à Guarda Nacional ucraniana, foi incendiado, enquanto um grupo de jornalistas que trabalhava na região foi baleado pelas tropas ucranianas.

Os rebeldes pró-russos também informaram que um dos mísseis disparados pela aviação ucraniana atingiu o território da fábrica "Tochmash", situada próxima ao aeroporto e que produz equipamentos para trabalhos de geologia e para a indústria de prospecção de montanhas. O ministro do Interior da Ucrânia, Arsen Avakov, anunciou neste domingo que a operação antiterrorista contra os insurgentes pró-russos no sudeste do país continuará e será intensificada, após a divulgação do magnata Petro Poroshenko como vencedor das eleições presidenciais no primeiro turno.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência