Por clarissa.sardenberg

Ucrânia - A operação antiterrorista feita por Kiev contra os insurgentes pró-Rússia nas regiões de Donetsk e Lugansk, no sudeste da Ucrânia, deixou até agora 181 mortos, entre eles 59 militares, e 293 feridos, anunciou nesta terça-feira o procurador-geral do país, Oleg Makhnitski.

O procurador explicou em entrevista coletiva que desde o início da rebelião separatista no sudeste da Ucrânia, os insurgentes tomaram 35 edifícios oficiais em várias cidades das duas regiões. A Procuradoria abriu 675 processos por ações terroristas, sabotagens e incitação de tumultos.

A operação antiterrorista para recuperar o controle das regiões de Donetsk e Lugansk, liberar os edifícios ocupados e desarmar os insurgentes foi lançada pelo governo de Kiev em meados do mês de abril, pouco depois que os rebeldes se fortalecessem na cidade de Slaviansk.

Grupo de combatentes da Assembléia Social Nacionalista da Ucrânia nesta terça-feiraReuters

Após mostrar indecisão durante os primeiros dias da operação, as autoridades ucranianas entraram em ação em 2 de maio, quando começou uma ampla ofensiva do exército e da Guarda Nacional da Ucrânia contra as fortificações dos insurgentes.

Os combates não pararam desde então com a exceção do dia em que aconteceram as eleições presidenciais ucranianas, a cuja conclusão, há oito dias, os enfrentamentos se voltaram mais virulentos que nunca e se estenderam às capitais das duas regiões rebeldes.

O exército ucraniano lançou nesta madrugada uma ofensiva contra a rebelde cidade de Slaviank (região de Donetsk), sobre a qual avançam várias colunas de tanques e veículos blindados no meio de uma intensa troca de tiros entre as forças governamentais e insurgentes pró-Rússia. Ao mesmo tempo, a aviação ucraniana destruiu hoje um acampamento e vários postos de controle dos milicianos pró-Rússia em várias zonas da região de Lugansk.

Você pode gostar