Morre aos 97 anos o ex-presidente venezuelano Ramón Velásquez

Ex-presidente e jornalista morreu no sábado em Caracas, mas ainda não foi divulgada a causa da morte

Por O Dia

Ramón VelásquezReprodução Internet

Caracas - O advogado e jornalista Ramón Velásquez, presidente interino da Venezuela entre 1993 e 1994, morreu em Caracas aos 97 anos, informou nesta terça-feira o secretário-executivo do partido Ação Democrática (AD, social-democrata), Henry Ramos Allup.

"Morreu um grande venezuelano, historiador, escritor e político de trajetória impecável", postou Allup no Twitter, sem detalhar quando e onde aconteceu a morte. Velásquez era o último ex-presidente venezuelano da AD ainda vivo, depois que em maio Jaime Lusinchi (1984-1989) morreu aos 89 anos.

A estatal Agência Venezuelana de Notícias (AVN) detalhou que Velásquez "morreu este sábado em Caracas". AVN lembrou da breve gestão governamental de Velásquez e destaca a instauração no país do Imposto ao Valor Agregado (IVA) e o indulto que concedeu a um narcotraficante apontado como braço direito de um dos chefes do cartel de Medellín.

O então senador Velásquez foi eleito pelo Congresso da Venezuela presidente interino do país em junho de 1993, após a suspensão para o exercício de funções como governante de Carlos Andrés Pérez, além da AD, acusado de corrupção e morto em 2010.

Velásquez foi repórter do jornal de Caracas "Últimas Notícias" e diretor do "Nacional", atividade que cumpriu como dirigente do partido AD. No cargo, permaneceu preso durante boa parte da ditadura do general Marcos Pérez Jiménez (1953-1958), o último governo militar venezuelano.

"Vai um forte abraço a todos os familiares e amigos do ex-presidente Ramón J. Velásquez, que Deus o tenha em sua glória", escreveu nesta terça-feira no Twitter o líder opositor e ex-candidato presidencial Henrique Capriles.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência