Exame que vê risco de câncer pode ser oferecido no SUS

Teste é o mesmo feito pela atriz Angelina Jolie e detecta chance de tumor na mama

Por O Dia

Jolie tornou pública decisão de retirar seios para evitar câncer de mamaReuters

Rio - Exame feito pela atriz Angelina Jolie, no ano passado, para detectar o risco de câncer de mama poderá ser oferecido, gratuitamente, pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a todas as mulheres com chances de desenvolver tumores. A medida faz parte de projeto de lei do Senado e que será discutido também na Câmara dos Deputados.

Além do teste genético que vai mostrar os riscos de câncer de mama, a ideia é que o SUS disponibilize também exame para mostrar a probabilidade genética de tumores de colo de útero. Além disso, se a medida for aprovada, as mulheres com alto risco para a doença poderão se submeter à mastectomia bilateral preventiva (retirada dos seios), mesmo procedimento feito por Jolie.

De acordo com o chefe do serviço de oncogenética do Hospital Erasto Gaertner, José Cláudio Casali, o exame detecta se os genes BRCA1 e BRCA2 — que favorecem o desenvolvimento do câncer de mama e de ovário — estão presentes no DNA da mulher. O teste é feito com amostra de sangue ou de saliva da paciente.

São considerados ‘grupos de risco’ e podem se submeter ao teste mulheres com três casos de câncer do mesmo lado da família e em parentes próximos (mãe e tia, por exemplo). Casos de familiares com tumor antes dos 50 anos também integram o grupo vulnerável.

Casali explica ainda que, para os resultados serem mais precisos, é importante que o parente próximo da candidata que teve câncer também passe pelo teste.

Após perder a mãe com câncer de mama, a paranaense Kelly Almeida, 31 anos, resolveu se submeter ao teste e descobriu que tinha 85% de chances de desenvolver o mesmo tumor. Ela teve que arcar com os custos do exame — total de R$ 3,4mil —, porque, em 2013, o plano de saúde não cobria o procedimento. Assim como Angelina, Kelly retirou os dois seios.

“Se for oferecido pelo SUS, a vida de muitas mulheres seria salva”, disse. O projeto de lei, do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), também prevê que mulheres com risco para câncer de mama tenham acesso à mamografia a partir dos 35 anos. Hoje, a idade é 40 anos.

Jolie retirou os seios em 2013

Em maio de 2013, a atriz norte-americana Angelina Jolie tornou pública sua decisão de retirar os seios para evitar o câncer de mama, depois de fazer o exame de probabilidade genética e descobrir que tinha 87% de chances de ter o problema. A mãe da atriz morreu aos 56 anos pelo avanço agressivo da doença.

A cirurgia é considerada o método mais eficaz de prevenir a ocorrência do tumor em mulheres com predisposição e é capaz de reduzir os riscos de câncer de 85% para 5% — um percentual inferior ao que pessoas sem casos na família possuem, segundo José Cláudio Casali.

“Ao saber disso, decidi tomar essa iniciativa e reduzir o risco ao mínimo. Comecei pelos meus peitos, já que o risco de sofrer um câncer de mama era superior ao de ter um câncer de ovário”, ressaltou a atriz em depoimento ao jornal ‘The New York Times’.

O mesmo exame apontou um risco de 50% para câncer de ovário e, em março deste ano, Angelina anunciou que faria uma nova cirurgia, ainda sem data divulgada. Na época, ela elogiou o esposo, Brad Pitt, pelo companheirismo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência