Chuva de bombas e foguetes eleva tensão na Faixa de Gaza

Número de mortos aumenta cada vez mais e líderes israelenses e palestinos fazem ameaças mútuas

Por bferreira

Gaza - O governo de Israel autorizou ontem suas Forças Armadas a mobilizarem 40 mil reservistas para uma possível invasão à Faixa de Gaza. A tensão na área, afirmam especialistas, é semelhante à de novembro de 2008, quando mais de mil palestinos foram mortos. Integrantes do movimento radical Hamas, que governa Gaza, dispararam mais de 130 foguetes em direção a Israel. Os militares israelenses, pelo menos 150 para o outro lado. Seis palestinos morreram em apenas um bombardeio, ontem à noite. O total de mortos chegou a 22.

Das vítimas fatais de ontem, duas eram crianças. Ao menos 25 outras pessoas ficaram feridas no mesmo bombardeio. Segundo Israel, seus alvos são locais utilizados pelo Hamas para lançar foguetes contra sua população e as duas crianças foram mortas ao serem usadas como escudos humanos. Já os palestinos dizem que era uma casa de família.

SIRENES E AMEAÇAS

Em Israel, que tem eficente sistema antimíssil, o Domo de Ferro, sirenes de alertas aéreos soaram em grandes cidades como Tel Avivi e Rishon LeZion. Moradores correram para refúgios.

“O Hamas escolheu agravar a situação e vai pagar um preço alto por isso. Chegou a hora de arregaçar as mangas”, declarou o premiê israelense, Benjamin Netanyahu. Já a organização radical palestina declarou que “todos os israelenses” são agora potenciais alvos de seus ataques.

As brigadas Ezzedine al-Qassam (braço militar do Hamas) reivindicaram a autoria dos disparos de dezenas de foguetes contra o território israelense, em “resposta à agressão sionista”. Eles ainda advertiram que Israel “ultrapassou a linha vermelha ao atacar casas”.

Segundo o Exército israelense, mais de 40 foguetes foram disparados de Gaza em apenas uma hora na segunda-feira à noite, e o sistema de defesa antimísseis destruiu 12 no ar. A TV estatal de Israel mostrou dezenas de tanques posicionados na fronteira. .

Em um comunicado, o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, exigiu que Israel acabe com suas operações aéreas. Ele fez um apelo à comunidade internacional para deter a “perigosa escalada que poderia provocar mais destruição e instabilidade na região”. Netanyahu havia se comprometido a “fazer o necessário para recuperar a paz e a segurança” em Israel.

O Exército do país anunciou que havia atingido o militante do Hamas Mohamed Goda, no Sul de Gaza, além de “outros 40 alvos”.

Radicais abatidos em praia

Quatro militantes palestinos foram mortos a tiros, ontem, ao tentaram entrar em Israel por uma praia perto de uma base militar. Houve pesado confronto.

A violência vem se intensificando desde a noite de segunda-feira, poucas horas depois de três extremistas judeus confessarem ter assassinado e queimado vivo o palestino Mohammad Abu Khdeir, 16 anos, cujo corpo foi encontrado quarta-feira. O crime foi considerado vingança pelo sequestro de três jovens israelenses, cujos restos mortais foram encontrados no último dia 30, segundo o governo o israelense.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia