Por clarissa.sardenberg

Rússia - O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, negou nesta sexta-feira o envolvimento de seu país na queda do avião malaio Boeing-777 na região de Donetsk, no leste da Ucrânia.

"No que se refere às declarações que se ouvem de Kiev acerca de que praticamente nós o fizemos (derrubar o avião), é preciso dizer que quase não escutei declarações verazes desde Kiev nos últimos meses", disse Lavrov em entrevista ao canal russo "Russia-24".

Vídeo mostra explosão de avião da Malásia na Ucrânia

Detritos tomam conta de área no leste da Ucrânia nesta sexta-feira após queda de avião Reuters

Além disso, catalogou de pressão sobre a investigação as palavras do presidente ucraniano, Petro Poroshenko, que, por sua vez, tachou o sucedido de "atentado terrorista".

"Declarações prematuras desse tipo, que aparecem antes que se tirem conclusões objetivas, são de fato uma pressão sobre a investigação e uma indicação (...) aos investigadores ucranianos sobre como devem investigar esse atentado", citou a Lavrov o correspondente que o entrevistou.

Segundo os serviços de inteligência dos Estados Unidos, o avião da companhia Malaysia Airlines foi derrubado por um míssil terra-ar, embora não possa ter especificado quem o disparou.

Tanto as autoridades de Kiev como os rebeldes pró-russos se acusam mutuamente do suposto abate da aeronave, em pleno conflito armado entre as forças ucranianas e os separatistas no leste da Ucrânia.

A companhia aérea assinalou que no avião estavam 298 pessoas, 283 passageiros e 15 tripulantes.

Você pode gostar