Dor na sola do pé? Pode ser menopausa

Queda hormonal se manifesta de outras formas, antes dos calores e da interrupção da mestruação

Por O Dia

Rio - Dormências, olhos ressecados, infecções urinárias repetidas e até mesmo dor na sola do pé... Para muitas mulheres, os sinais de que a menopausa está chegando são os mais diversos. Segundo especialistas, antes mesmo das conhecidas ondas de calor e da interrupção da menstruação, o corpo da mulher dá sinais da queda na produção do hormônio estrogênio.

Sinais da menopausa surgem a partir dos 40 anosArte O Dia

Esta diminuição hormonal acontece com a chegada da síndrome climatéria (período antes da menopausa). De acordo com Mario Gaspare Giordano, ginecologista da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, o hormônio atua em locais como sistema nervoso central, coração, ossos e pele. “Até em algumas substâncias sintetizadas no cérebro o estrogênio age, por isso a sua queda causa um ‘curto-circuito’ ”, diz.

Para Thereza Christina Cypreste, ginecologista e mastologista, tão incômodo como o fogacho (calor) é a insônia. E os dois têm relação. O calor tem origem no cérebro e interfere no sono. “Para algumas mulheres não adianta tomar remédio: só conseguem dormir com anestesia. Sem dormir, o dia a dia fica comprometido: o transtorno é grande”.

De acordo com ela, a menopausa afeta também a vida sexual. Com pouco estrogênio, a lubrificação vaginal fica comprometida e não é raro a mulher ‘fugir’ do sexo para não sentir dor. “Poucas mulheres conseguem relacionar isso à menopausa”.

Outro sintoma, considerado mais grave, são as infecções urinárias repetidas. O esfíncter, espécie de ‘válvula’ que controla a urina, perde a capacidade de manter o local fechado, o que favorece a entrada de bactérias. Quando o mal não é relacionado ao climatério, a mulher toma muito antibiótico , criando resistência.

A menopausa afeta também os olhos e a composição das lágrimas. O resultado é a síndrome do olho seco. De acordo com a oftalmologista Sandra Alice Falvo, do Instituto de Moléstias Oculares, os sinais mais comuns são sensibilidade à luz, visão turva, queimação e sensação de areia.

Remédios amenizam o mal

Os incômodos da menopausa vão, literalmente, dos pés à cabeça, mas é possível amenizá-los. Segundo Thereza, o tratamento com hormônios é o mais recomendado, mas a mulher precisa se submeter antes a exames de rotina — preventivo, mamografia e ultrassonografia.

Pacientes que tiveram câncer de mama não podem fazer uso desses remédios e precisam de alternativas, como melhoria dos hábitos alimentares e prática esportiva. A ginecologista lembra que nenhuma medicação se iguala ao hormônio natural, porém os remédios aumentam a qualidade de vida. “A mulher não pode tomar o hormônio por conta própria, pois há riscos”.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência