EUA acusa Rússia de bombardear posições ucranianas

Porta-voz garante que a Rússia está tentando enviar às milícias rebeldes "plataformas de lançamento de foguetes e fogo mais pesado"

Por O Dia

Ucrânia diz que aeronave teria sido abatida e acusa Rússia. Avião havia decolado de Amsterdã%2C na Holanda%2C e deveria chegar a Kuala Lampur%2C na MalásiaFotos%3A Reuters

Washington, EUA - Os Estados Unidos garantiram nesta quinta-feira que têm provas de que Rússia disparou rodadas de artilharia a partir de seu território contra posições das Forças Armadas ucranianas para ajudar os rebeldes pró-russos. A porta-voz do Departamento de Estado, Marie Harf, afirmou que os Estados Unidos têm "evidências de que a Rússia está disparando peças de artilharia desde a Rússia para atacar posições militares ucranianas".

A porta-voz de Estado garantiu que a Rússia está tentando enviar às milícias rebeldes "vários tipos de plataformas de lançamento de foguetes mais poderosas e fogo mais pesado", o que foi confirmado também por analistas do Pentágono. Segundo fontes do Departamento de Defesa, Rússia também abasteceu os rebeldes das regiões do leste ucraniano com uma centena de veículos militares, incluídos tanques, o que demonstraria a envolvimento ativo da Rússia no conflito ucraniano.

Os Estados Unidos acreditam que a Rússia mantém entre 10 mil e 12 mil tropas bem equipadas e prontas para o combate perto da fronteira com a Ucrânia. A tensão entre EUA e Rússia por causa da crise separatista na Ucrânia aumentou ainda mais depois da queda do avião de passageiros de Malaysia Airlines MH17, que deixou 298 mortos. Os serviços de inteligência americanos dão por certo que um míssil de origem soviética do tipo BUK SA-11 foi o responsável pela queda do avião em pleno voo e que teria sido provavelmente operado por separatistas que cometeram um erro ao pensar que a aeronave era militar.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência