Obama critica saques e 'uso excessivo da força policial' nos Estados Unidos

Morte de jovem negro gerou uma onda de violência na cidade de Ferguson, em Missouri

Por leonardo.rocha

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, criticou nesta quinta-feira tanto os saques como o "uso excessivo da força policial" na cidade de Ferguson, em Missouri, após a quarta noite de protestos pela morte de um jovem negro desarmado por disparos da polícia.

Polícia lança bombas de fumaça para disperçar manifestantes após novo confronto em Ferguson%2C MissouriReuters


"Estamos profundamente preocupados pela violência", declarou Obama em um breve discurso perante a imprensa interrompendo seus dias de férias em Massachusetts. "Nosso propósito agora é que se mantenha a segurança cidadã sem que isso infrinja o direito dos cidadãos a expressar-se", acrescentou.

O governante expressou sua inquietação por "esta violência no coração de nosso país", e acrescentou que falou da situação em Ferguson com o governador do Missouri, Jay Nixon, e recebeu do secretário de Justiça, Eric Holder, a informação pontual sobre o que está ocorrendo nessa cidade.

Polícia prende 32 em protesto por assassinato de jovem negro nos EUA

Obama ainda lembrou que instruiu o Departamento de Justiça e o Birô Federal de Investigações (FBI) para que contribuam à investigação do incidente ocorrido no sábado passado, quando um policial branco matou a tiros Michael Brown, de 18 anos.

Os protestos pela morte de Brown abriram passagem no domingo a uma noite de saques, incêndios e enfrentamentos com a polícia que se repetiram em menor medida todas as noites passadas, com a detenção de 50 pessoas no total.

Manifestantes marcham durante protesto pela morte de jovem negro Michael Brown em Ferguson%2C nos EUAReuters


Na noite desta quarta-feira as forças de segurança saíram às ruas de Ferguson com equipamento antidistúrbio e dispararam gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar os manifestantes.

Nos incidentes da noite de quarta-feira a polícia deteve dois jornalistas que trabalhavam em um restaurante, perto do lugar dos incidentes, e Obama disse que "também não há desculpa" para restringir o trabalho dos que informam à população.

O caso

A polícia norte-americana prendeu 32 pessoas após uma onda de protestos e saques em Ferguson, Missouri, neste domingo. As manifestações ococrreram por conta do assassinato de um adolescente negro por um policial.

Multidões quebraram janelas de carros e lojas, incendiaram um prédio e saquearam lojas após um dia de manifestações devido à morte de Michael Brown, um jovem desarmado de 18 anos baleado no sábado por um policial de Ferguson.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia