Por leonardo.rocha

Iraque - Pressionado principalmente devido à crise causada por militantes radicais do Estado Islâmico no país, o primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, anunciou sua renúncia ao cargo, nesta quinta-feira, divulgou a rede de televisão estatal. Ele será substituído por Haider al-Abadi, nomeado nesta semana pelo presidente do país, Fouad Masoum.

Ex-premiê iraquiano afirmou que irá apoiar seu substituto%2C nomeado nesta semana por presidenteReuters


Na segunda-feira, pairavam diversas dúvidas a respeito da possibilidade de Maliki não renunciar, principalmente por não ter havido uma negociação prévia para isso com o presidente. Ainda assim, o agora ex-premiê, que ocupava provisoriamete o cargo desde abril, afirmou que vai apoiar seu substituto.

A decisão de Masoum tem como principal objetivo encerrar a carnificina praticada pelo grupo radical Estado Islâmico no território do país. Com a intenção de criar um califado islâmico na região que abrange parte do Iraque e da Síria, os militantes fundamentalistas têm promovido o terror, obrigando minorias locais a se converterem ao islã.

Maliki vinha sendo acusado por críticos de perseguir uma agenda sectária que isola a minoria sunita, empurrando alguns de seus membros a apoiar os militantes do Estado Islâmico, cuja última investida contra o norte do Iraque tem alarmado o governo de Bagdá e seus aliados ocidentais.

Maliki vinha sendo acusado por críticos de perseguir uma agenda sectária que isola a minoria sunita, empurrando alguns de seus membros a apoiar os militantes do Estado Islâmico, cuja última investida contra o norte do Iraque tem alarmado o governo de Bagdá e seus aliados ocidentais.

Você pode gostar