Por clarissa.sardenberg

Estados Unidos - O FBI e o Serviço Secreto americano investigam uma série de ciberataques a bancos dos EUA coordenados com objetivo ainda desconhecido realizados neste mês, entre eles o JPMorgan Chase. De acordo com as investigações, sete instituições podem ter sido afetadas. Alguns apontam a autoria do ataque para hackers russos, mas o New York Times, em reportagem divulgada nesta quarta-feira, lembrou que é cedo para classificar o ataque assim, afirmando que os ciberataques russos sempre foram caracterizados de outra forma, muito mais explícita e política. 

Os hackers teriam acessado as contas de clientes do banco através da vulnerabilidade nos aplicativos para celular, mas até agora não há informação de que tenham feito alguma alteração nas contas bancárias.

Escritório JP Morgan Chase, em Nova York EFE

"As empresas de nosso tamanho infelizmente sofrem ciberataques quase todos os dias. Temos várias maneiras de nos defender destas ameaças e vigiamos constantemente se houve fraude real", explicou à publicação Patricia Wexler, porta-voz do JPMorgan.

Segundo os especialistas em segurança cibernética consultados pelo jornal americano, por enquanto não há evidência de que exista uma motivação política por trás dos ataques realizados em agosto, nem se foi encontrada vinculação com países como Rússia e Irã. O setor bancário americano é alvo frequente de hackers, na imensa maioria com objetivos econômicos. O que chamou a atenção desta vez é o JPMorgan não ter encontrado nenhum sinal de fraude, o que fez os investigadores decidirem manter abertas todas as hipóteses.

Você pode gostar