Por bferreira

Espanha - Cerca de 250 imigrantes lançaram nova tentativa para cruzar a cerca fronteiriça entre Marrocos e Melilla, um dos dois enclaves espanhóis no Norte da África, e 15 deles conseguiram entrar em território espanhol. “Um grupo de 250 imigrantes de origem subsaariana tentou entrar nesta manhã (ontem) em Melilla, pela passagem fronteiriça de Beni-Enzar”, explicou em um comunicado a delegação do governo espanhol. O território e Ceuta constituem as únicas fronteiras terrestres entre países da África e a União Europeia.

Diante da reação da polícia, que agiu para bloquear a entrada, os imigrantes “tentaram um salto em massa pela cerca na zona próxima à fronteira”, acrescentou o governo espanhol. Como resultado desta tentativa, além das 15 pessoas que entraram em Melilla, outras 70 ficaram agarradas à cerca, descendo horas depois e levadas pelas forças marroquinas.

Este é o primeiro ataque em grupo no local em duas semanas, quando a Espanha enfrentou várias tentativas em um momento em que centenas de imigrantes chegavam à costa pelas águas do estreito de Gibraltar, em embarcações precárias. No dia 12 de agosto, mais de 80 imigrantes conseguiram entrar em Melilla, depois que 750 pessoas lançaram três ataques em grupo à tripla cerca fronteiriça, de até seis metros de altura, que cerca o enclave.

As tentativas se repetiram quando dezenas de clandestinos permaneceram durante horas em uma das cercas, esperando em vão descer do lado espanhol. A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch acusou, na semana passada, a Guarda Civil espanhola de espancar imigrantes agarrados à cerca e de devolvê-los ilegalmente ao Marrocos. Outras associações denunciaram supostas práticas violentas por parte da guarda marroquina.

Você pode gostar