Por felipe.martins

Jerusalém -  O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, que chamou o Brasil de “anão diplomático”, deixou o cargo que ocupava desde 2008, segundo informou ontem o ‘Jornal Nacional’, da TV Globo.

No início de julho, Palmor reagiu com ironia depois de o governo brasileiro criticar a ofensiva israelense na Faixa de Gaza e, como desagravo, chamar o seu embaixador de volta. Ante às centenas de civis mortos em Gaza, entre mulheres e crianças, o Brasil classificou a ofensiva militar de Israel como “desproporcional”.

Palmor respondeu com piada infame: “Desproporcional é perder de 7 a 1”, em referência à derrota do Brasil para a Alemanha, na Copa do Mundo. Não ficou claro se a polêmica influenciou a saída de Palmor do ministério nem se a decisão foi dele ou de seus superiores. Ao ‘JN’ o ex-porta-voz disse que sua saída já estava decidida desde março e que seu ciclo diplomático já estava encerrado.

O presidente israelense, Reuven Rivlin, eleito depois da crise diplomática entre os dois países, pediu desculpas por telefone a Dilma Rousseff pela atitude do porta-voz.

Você pode gostar