Fortes chuvas de monções matam ao menos 40 no Paquistão

Serviços de meteorologia do país alertam para mais enchentes; moradores foram vítimas de electrocussão e de desabamentos

Por O Dia

Paquistão - Fortes chuvas de monções deixaram ao menos 40 mortos em todo o Paquistão enquanto enxurradas inundaram aldeias, o que levou autoridades a enviar tropas para retirar moradores e ajudar nos serviços de emergência, informaram funcionários nesta sexta-feira.

Os serviços de meteorologia do país alertaram para mais enchentes no fim de semana. Na cidade oriental de Lahore, 13 foram mortos quando telhados desabaram na quinta-feira, disse Ahmad Kamal, um porta-voz da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres.

Tropas do exército do Paquistão resgatam moradores de uma área alagada por causa das fortes chuvas nos arredores de IslamabadReprodução Internet


As chuvas provocaram deslizamentos de terra que mataram seis civis e três soldados na Caxemira também na quinta-feira. Militares afirmam ter enviado tropas na noite de quinta-feira para retirar moradores das áreas afetadas pela enchente.

Emissoras de TV paquistanesas transmitiram imagens mostrando ruas e aldeias inundadas. Kamal disse que eles estavam esperando inundações excepcionalmente altas para o fim de semana.

As fortes chuvas também atacaram a capital, Islamabad, onde milhares de partidários da oposição acampavam há semanas em frente ao Parlamento exigindo a renúncia do primeiro-ministro Nawaz Sharif, acusado de suposta fraude eleitoral.

Os manifestantes usaram tendas improvisadas feitas de folhas de plástico para se abrigarem das chuvas. O Paquistão sofre inundações regularmente durante a estação das monções. Em 2010, enchentes mataram 1.700 somente no país.

Pelo menos 73 pessoas foram mortas no Paquistão após pesadas chuvas terem desencadeado inundações e destruído casas nas regiões de Punjab e Caxemira, disseram nesta sexta-feira representantes do governo.

A maioria das mortes aconteceu na cidade de Lahore, principal base de poder do primeiro-ministro Nawaz Sharif, prejudicando mais ainda a posição do governo após semanas de protestos que clamam pela saída do premiê do poder.

Com a crise política se arrastando pela terceira semana, a atenção nacional se voltou para a devastação causada das inundações, com canais de televisão mostrando imagens ao vivo de vilas e cidades inundadas pela água lamacenta.

Pelo menos 43 mortes foram noticiadas em Punjab e 30 na região himalaia da Caxemira nos últimos dias, segundo autoridades.

“A maioria das 43 mortes em Punjab ocorreram porque os telhados das casas caíram", disse Nisar Saani, diretor da Autoridade de Gerenciamento de Desastres de Punjab. "Os demais foram eletrocutados". Autoridades emitiram alertas de inundações em todo o país.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência