Obama apresentará quarta-feira plano para acabar com 'ameaça' do EI

Presidente disse que vai reduzir o território do Estado Islâmico e 'atingir as capacidades' do grupo terrorista

Por O Dia

Estados Unidos - O presidente americano, Barack Obama, anunciou neste domingo que na próxima quarta-feira apresentará um plano detalhado para enfrentar a "ameaça" do Estado Islâmico (EI) e "finalmente" derrotá-lo. "Vou preparar o país para que façamos frente à ameaça de EI", disse Obama em entrevista ao programa "Meet the Press", da NBC.

"Vamos reduzir o território que o EI controla e finalmente vamos derrotá-los". "O que quero que as pessoas entendam é que, durante os próximos meses, não só vamos ser capazes de parar o avanço de EI. Vamos atingir de maneira sistemática suas capacidades", acrescentou Obama.

Presidente americano Barack Obama afirma que EUA irão derrotar de forma 'sistemática' o Estado IslâmicoEFE

No entanto, o presidente enfatizou que "não será um anúncio de envio de tropas" e negou que será algo "equivalente" à Guerra do Iraque. "É similar ao tipo de campanhas contra o terrorismo nas quais fomos nos envolvendo nos últimos seis, sete anos. Acho que uma ampla coalizão regional e internacional será capaz encarar o problema", afirmou.

Na próxima terça-feira, o presidente receberá na Casa Branca os líderes democratas e republicanos no Congresso, que retoma suas sessões nesta semana, para abordar a luta contra o EI e outros assuntos exteriores, informaram fontes legislativas.

A decisão de autorizar os ataques aéreos de forças americanas no Iraque, adotada em 8 de agosto, foi tomada de maneira individual por Obama como comandante-em-chefe do exército, mas os congressistas pressionaram a Casa Branca para que apresente um plano detalhado no Congresso. Desde então, os EUA lançaram mais de uma centena de bombardeios contra diferentes posições de EI no norte do Iraque.

O presidente, que havia classificado os combatentes do EI como ameaça pequena, os comparando a um time de jogadores universitários de segunda linha, mudou de tom e afirmou que o grupo cresceu, e hoje atrai combatentes estrangeiros de países ocidentais. Segundo Obama, estes poderiam entrar nos EUA sem problemas. “Com o tempo, isso pode se tornar um perigo sério ao nosso país”.

Ainda no domingo, aviões de guerra americanos atacaram insurgentes do Estado Islâmico que tentavam destruir a represa de Haditha, a segunda maior usina hidrelétrica do Iraque, que fornece água a milhões de pessoas. O líder de uma força paramilitar pró-governo iraquiano disse que os ataques aéreos dizimaram uma patrulha do Estado Islâmico que tentava atingir a represa.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência