Juíza adia leitura do veredicto de Oscar Pistorius

Velocista foi absolvido do assassinato intencional da namorada na manhã desta quinta-feira

Por O Dia

África do Sul - A juíza Thokozile Masipa adiou para esta sexta-feira a leitura do veredicto em que o velocista Oscar Pistorius foi absolvido da acusação de assassinar a namorada Reeva Steenkamp. A magistrada também rejeitou que o corredor tenha matado de forma premeditada a modelo, como sustentava a Promotoria.

A leitura do veredicto foi iniciada ainda pela manhã (hora local) e durou - com diversas paralisações - cerca de três horas e meia. Depois de uma paralisação para o almoço que levou quase duas, Thokozile Masipa reiniciou a sessão e a suspendeu cerca de 20 minutos depois.

Apesar da absolvição da acusação do crime de assassinato, a que poderia ser condenado com prisão perpétua, a juíza acredita que Pistorius disparou deliberadamente e não por acidente, como garantiu o atleta durante o julgamento. Isso deixa aberta a possibilidade de enquadramento no delito de homicídio culposo.

Além disso, a juíza considera que Pistorius atuou de uma forma "negligente", já que poderia ter pedido ajuda em vez de pegar a arma e disparar contra a falsa ameaça que percebeu, que na verdade era Reeva Steenkamp.

Segundo a magistrada, uma "pessoa razoável" teria atuado de outra maneira diante da sensação de que um ladrão havia entrado pela janela de sua casa, como Pistorius disse ter pensado antes de pegar a arma e disparar através da porta do banheiro. No veredicto, cuja leitura será retomada nesta sexta-feira às 9h30 (4h30 no horário de Brasília), Thokozile Masipa afirma que o acusado usou "força excessiva" e não fez tudo para evitar uma morte. A pena para homicídio culposo, não tem uma pena concreta na África do Sul, com isso, a decisão sobre a pena ficará a cargo da juíza.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência