Por karilayn.areias

Faixa de Gaza - Cinquenta famílias palestinas desabrigadas por bombardeios israelenses na Faixa de Gaza foram realojadas no sábado, em casas itinerantes, na cidade de Khan Yunis, situada ao sul da região de conflitos.

Imad al-Haddad, presidente de uma associação dos Emirados Árabes Unidos que doou as 50 moradias, contou à imprensa que, somente no bairro Khuzaa, 500 famílias perderam os telhados de suas casas.

Mohamed al-Najjar, de 60 anos, que teve a casa de três andares destroçada por um ataque aéreo israelense, foi um dos removidos para uma dessas moradias, que descreveu como “excelente iniciativa”. “A gente espera reconstruir nossa casa. Não queremos apenas uma solução temporária”, afirmou.

Al-Haddad contou que cada unidade — contendo dois quartos, um banheiro e cozinha — pode acomodar seis pessoas e custa aproximadamente 5.400 euros (cerca de R$ 16,3 mil). Ele afirmou que sua associação deve doar mais 50 habitações antes da chegada do inverno no Hemisfério Norte (que coincide com o início do verão no Hemisfério Sul, em dezembro).

De acordo com dados do Ministério da Habitação de Gaza, 9.800 moradias foram destruídas e outras 8 mil se tornaram inabitáveis durante os 50 dias de conflito. Sua reconstrução, estimada pelo órgão em US$ 1,5 milhão (R$ 3,5 milhões), está suspensa pelo bloco israelense. Até então, nenhum material de construção pôde entrar na região, porque Israel acredita que, na verdade, ele se destinaria a criar túneis ou fabricar mísseis.

Segundo a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), 65 mil desabrigados ainda estão alojados em escolas da ONU, aguardando acomodação, e centenas de outros encontraram refúgio com parentes.

Você pode gostar