Para evitar separação, Grã-Bretanha promete mais recursos à Escócia

Escócia vão às urnas na quinta-feira para decidir se o país deve romper com o Reino Unido

Por O Dia

Escócia - Diante da maior ameaça interna ao Reino Unido desde que a Irlanda se separou há quase um século, o "establishment" britânico - desde Cameron até o ex-jogador de futebol David Beckham - se uniram em um esforço para convencer os escoceses de que o Reino Unido é “Melhor Junto”.

Escoceses vão às urnas no dia 18 deste mês para decidir sobre independênciaReuters


“Não haverá volta. Não haverá nova tentativa. Se a Escócia votar ‘sim', o Reino Unido irá se separar e nós iremos por caminhos separados para sempre”, disse Cameron em Aberdeen, centro da indústria petrolífera escocesa.

Se os escoceses votarem pela independência, a Grã-Bretanha e a Escócia teriam 18 meses de negociações pela frente sobre todos os temas, desde o petróleo do Mar do Norte até a libra esterlina e a filiação à União Europeia, além da principal base nuclear submarina da Grã-Bretanha, que fica na Escócia.

A possibilidade de cindir o Reino Unido, sexta maior economia do mundo e membro com poder de veto no Conselho de Segurança das Nações Unidos, levou cidadãos e aliados a ponderar o que sobraria disso tudo.

Pesquisa

O apoio escocês à independência subiu um ponto percentual, para 48%, mostrou uma pesquisa Opinium para o jornal Daily Telegraph nesta terça-feira.

A pesquisa mostrou que o apoio escocês para permanecer no Reino Unido estava em 52%, contra 53% da pesquisa anterior, divulgada no fim de semana, informou o Telegraph. Os eleitores na Escócia vão às urnas na quinta-feira para decidir se o país deve romper com o Reino Unido.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência