Por leonardo.rocha

Inglaterra - Uma mulher que trabalhava como voluntária em uma clínica para doentes mentais na Inglaterra teve que saltar da janela para escapar de um interno que queria estupra-la. segundo informações do jornal Mirror, no dia do crime, Jemma Rixon, de 20 anos, teve que trabalhar no turno da noite e, sozinha, ficou responsável pelos cuidados de seus residentes da clínica.

Voluntária trabalhava em clínica de doentes mentais quando foi submetida a um plantão noturno que teve que cumprir sozinhaReprodução


Durante o plantão, o interno Craig Cantwell, de 30 anos, reclamou de uma forte dor de cabeça e pediu ajuda da jovem. Cantwell teve um ataque psicológico - conforme diagnosticaram, mais tarde, por profissionais da clínica - e começou a chamar Jemma de prostituta, agredindo-a e exigindo que ela fizesse sexo com ele. Com medo, a jovem se trancou no banheiro, mas não foi o suficiente: Cantwell quebrou a parede do banheiro com uma cadeira.

Neste momento, Jemma decidiu saltar da janela do cômodo, que ficava a seis metros do chão. "Eu sabia que existiam duas opções: ou eu saltava da janela, ou eu ficava, era estuprada e poderia ser morta", disse ela.

A jovem quebrou duas vértebras, além de fraturar o pescoço e o pé depois do salto, mas está se recuperando. Cantwell continua internado na mesma clínica e os responsáveis pela instalação lamentaram o ocorrido. Ninguém foi presos.

Craig Cantwell que já havia sido acusado pelos crimes de dano corporal, tumulto e delito com a intenção de cometer um crime sexual, em Liverpool.

Você pode gostar