Por clarissa.sardenberg

Estados Unidos - Michelle Lodzinski, de 46 anos, compareceu nesta terça-feira a um tribunal em New Brunswick, em Nova Jérsei, nos EUA, para enfrentar a acusação do assassinato do próprio filho, de 5 anos, Timothy Wiltsey. O crime ocorreu há 23 anos e havia sido arquivado, tendo Michellhe como principal suspeita. Ela nega as acusações, mas a promotoria afirma que vai levar o caso até o fim mesmo após tantos anos.

Após o arquivamento do caso, a mulher se mudou para a Flórida. Ela foi detida no dia 7 de agosto na região e transferida para Nova Jérsei, onde permanece presa sob fiança de R$ 2 milhões.

Americana Michelle Lodzinski foi presa presa na Flórida acusada de matar o próprio filho Reprodução Internet

De acordo com a polícia, Michelle matou "propositalmente ou conscientemente" Timothy em 25 de maio de 1991. Ela, no entanto, alega que seu filho se perdeu em um parque, mas de acordo com o promotor Scott LaMountain, ela já mudou a versão dos fatos diversas vezes e não mencionou informações importantes.

A ossada do menino foi encontrada pela polícia 11 meses depois do ocorrido.

Segundo a polícia, em uma revisão das investigações de 1992 feita no ano passado, foi percebido que um cobertor encontrado junto aos restos mortais da vítima foi levado para a identificação e Michelle negou já tê-lo visto. Mais tarde, investigando uma mulher que havia sido babá do menino, ela confirmou que o objeto pertencia à criança. De acordo com as autoridades, outros fatos estão surgindo.

Você pode gostar