Por bferreira

Rio - Um novo remédio promete ajudar homens que sofrem de ejaculação precoce. A pílula, desenvolvida por cientistas britânicos, bloqueia a ação da oxitocina, conhecida por ‘hormônio do amor’, por estar relacionada a situações de excitação. Testes em 90 homens com idades entre 18 e 60 anos começaram este mês, após experimentos com ratos, feitos na Universidade de Versailles-Saint Quentin, na França.

Durante um ano, os voluntários receberão diferentes doses da droga, de uma a sete horas antes do ato sexual.

A oxitocina é liberada em resposta ao toque e desencadeia a ejaculação. O novo fármaco é chamado de ‘antagonista de oxitocina’ e pretende impedir que a substância se ligue às células do corpo. Para cientistas, o bloqueio da oxitocina pode adiar a ejaculação. A boa notícia é que a pílula teria menos efeitos colaterais do que os remédios utilizados atualmente para controlar o mal.

Segundo o urologista Cesar Camara, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, pacientes com ejaculação precoce, hoje, são tratados com remédios antidepressivos que, segundo ele, possuem muitos efeitos colaterais. O especialista lembra que o problema é mais comum entre os adultos jovens, mas também pode aparecer após os 50 anos.

Cesar alerta que é preciso cautela antes de comemorar o novo remédio. “Uma droga que mexe com hormônios pode trazer algum desequilíbrio. Mas novidades são sempre bem-vindas”, disse. “A proposta é que atrase a ejaculação, mas mantendo a excitação”, conclui.

Um terço dos homens são ou serão afetados

Um terço dos homens em algum momento da vida vai sofrer com ejaculação precoce, segundo Eduardo Berna Bertero, da Sociedade Brasileira de Urologia. A origem do mal, para a maioria dos pacientes, está em problemas psicológicos, como ‘ansiedade de desempenho’. “Às vezes, o homem gosta muito da mulher, fica ansioso por mostrar um bom desempenho, mas acaba ejaculando rapidamente”, explica, acrescentando que psicoterapia sexual é indicada nesses casos. Ejacular poucos minutos após a penetração é considerado problema.

Você pode gostar