Por leonardo.rocha

Vaticano - O papa Francisco disse ao Corpo da Gendarmaria, responsável pela segurança, que já "há bombas dentro do Vaticano" em alusão ao que classificou como "fofocas" em relação comuma suposta ameaça jihadista, informou nesta segunda-feira L'Osservatore Romano.

"Vocês, os sentinelas, vigiem as portas, as janelas, para que não entre uma bomba, mas quero dizer uma coisa um pouco triste: há bombas dentro, há bombas perigosíssimas dentro", e acrescentou quese referia "as fofocas", dos que disse que são o "joio" e "uma bomba que destrói a vida".

Papa FranciscoReuters



As falas do papa foram feitas durante a homilia de uma missa realizada no sábado passado, mas o conteúdo foi divulgado apenas nesta segunda-feira pelo jornal oficial do Vaticano. "A pior bomba que existe dentro do Vaticano é a fofoca", garantiu o papa.

Não é a primeira vez que Francisco se refere ao tema. Em fevereiro deste ano, o ele declarou perante os fiéis na Praça de São Pedro que "as fofocas podem matar, porque matam a fama das pessoas". O pontífice, que em vários discursos criticou o vício de fazer fofocas e suas repercussões, também no seio da Igreja Católica,acrescentou: "no começo, pode parecer divertido", mas "depois contar fofocas nos enche o coração de amargura e envenena a nós mesmos".

A alusão à segurança do Vaticano neste fim de semana foi feita pelo papa depois que a imprensa italiana informou que a proteção do pequeno Estado foi reforçada por uma suposta ameaça de ataques jihadistas. No começo deste mês, o vice-presidente do Comitê Parlamentar para a Segurança da República Italiana (COPASIR), Giuseppe Esposito, reconheceu que existe risco de que o grupo jihadista Estado Islâmico(EI) atente contra o Vaticano, mas reforçou que esta ameaça está controlada.

O auto proclamado califa do EI, Abu Bakr al-Baghdadi,afirmou em julho que queria "conquistar Roma e o Vaticano".

Você pode gostar