Por leonardo.rocha

Estados Unidos - Um paciente internado no Hospital Presbiteriano de Dallas, no Texas, foi confirmado nesta terça-feira como o primeiro caso de ebola diagnosticado nos Estados Unidos. "Não tenho dúvida que vamos controlar este caso de ebola importado e que não vai se estender no país", declarou nesta terça-feira em entrevista coletiva Thomas Frieden, diretor dos Centros de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Frieden indicou que, aparentemente, o paciente viajou da Libéria, um dos países africanos mais afetados pelo ebola, para o Texas no dia 19 de setembro, "para visitar parentes" que vivem nos Estados Unidos, e mostrou sintomas cinco dias mais tarde, quando foi internado no hospital.

Equipe de saúde faz procedimento de limpeza após recolher corpo de vítima de ebola em área de isolamento na LibériaReuters



"As pessoas que viajaram no avião com esta pessoa não estavam em risco já que ele não apresentou sintomas até quatro dias após chegar", explicou o diretor dos CDC. No entanto, Frieden acrescentou que as pessoas que estiveram em contato direto ou indireto com o paciente estão sendo observadas para evitar que a doença se propague.

Já o comissário de saúde do Texas, David Lakey, descartou a possibilidade que sejam registrados outros casos da doença no estado. O paciente está agora internado de forma isolada no Hospital Presbiteriano de Dallas (Texas). Este é o primeiro paciente diagnosticado com ebola no país, embora quatro pessoas já tenham sido tratadas em território americano.

Três delas se recuperaram completamente e a outra foi transferida ao Hospital Universitário de Emory há mais de duas semanas, sem que até agora se conheçam detalhes de sua condição. Até o momento o vírus já causou a morte de mais de três mil pessoas em países como Serra Leoa, Libéria, Nigéria, Guiné eSenegal, segundo números oficiais da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Você pode gostar