Libéria quer julgar paciente nos EUA por mentir sobre contato com ebola

Segundo ministro, homem mentiu sob juramento, colocando em risco a saúde de outros de forma plenamente consciente

Por O Dia

Libéria - As autoridades da Libéria expressaram sua intenção de levar a julgamento o cidadão liberiano infectado pelo vírus do ebola que permanece hospitalizado nos Estados Unidos por mentir sob juramento, informou nesta sexta-feira a imprensa local. Thomas Eric Duncan, o primeiro paciente diagnosticado com ebola nos Estados Unidos, encontra-se hospitalizado desde 28 de setembro em Dallas após chegar dias antes da Libéria.

Autoridades liberianas disseram que ele deverá ser julgado ao retornar ao país por mentir sob juramento sobre seu contato com o ebola quando passou pelos postos de controle na saída do aeroporto na Libéria.

O vice-ministro do Ministério de Informação, Isaac W. Jackson, citado pelo jornal Liberian Observer, afirmou que quando Duncan foi interrogado se teve contato nos últimos 21 dias com doentes de ebola respondeu não. Por esta razão, deve ser processado, disse Jackson. O ministro acrescentou que Duncan também deverá ser levado aos tribunais por conduta negligente e pôr em risco a saúde de outros sendo plenamente consciente.

O diretor da Autoridade Aeroportuária da Libéria, Binyah Kesselly, também disse que Duncan será processado quando retornar ao país.

Thomas Eric Duncan conseguiu burlar o dispositivo de segurança que o governo da Libéria organizou diante da ameaça de propagação do ebola, que inclui um questionário aos passageiros que entram ou saem do país, além de exames para diagnosticar febre. Segundo vizinhos de Duncan, ele ajudou uma grávida contaminada com ebola que posteriormente morreu.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência