Por felipe.martins

Cairo e Washington - Combatentes jihadistas do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) tomaram parte de estratégico monte junto ao reduto curdo-sírio de Kobani — na fronteira com a Turquia — após duros combates com milicianos curdos, informou ontem o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Segundo o observatório, o EI assumiu no sábado o controle da colina Machta Nour, após intensos confrontos entre as Unidades de Proteção do Povo Curdo e os jihadistas. Ontem, no lado turco da fronteira, era possível avistar fumaça sobre Korbani, assim como ouvir explosões. Já o exército da Turquia posicionou soldados nas colinas próximas.

Militares turcos usam gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes curdos%2C que protestam contra o Estado Islâmico%2C em Sanliurfa%2C na TurquiaReuters

Desde o começo da ofensiva do EI na região, os radicais tomaram mais de 350 povoados dos arredores de Kobani. A violência na área não para: ontem também, uma suicida curda atentou contra um quartel do EI na cidade de Kobani, na Síria. Na província de Ninawa, no norte do Iraque, terroristas do EI assassinaram a tiros nove civis acusados de conspirar contra a organização extremista.

Ao longo do fim de semana, as forças militares dos Estados Unidos executaram mais três ataques aéreos sobre posições do grupo Estado Islâmico na Síria, além de outros seis bombardeios no Iraque. O Ministério da Defesa belga anunciou que a Bélgica realizou seu primeiro ataque aéreo contra o EI, no Iraque, como parte da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

As forças militares dos EUA continuam com as ofensivas apesar de uma nova execução, do voluntário britânico Alan Henning, divulgada em vídeo na sexta-feira.

Você pode gostar