Paraplégico volta a andar após transplante de células

Búlgaro Darek Fidyka se recuperou do rompimento total dos nervos da coluna vertebral

Por O Dia

Polônia - Um paraplégico voltou a andar após um transplante de células nervosas nunca antes realizado. O búlgaro Darek Fidyka, de 40 anos, se recuperou totalmente do rompimento completo dos nervos da coluna vertebral, colocando a cirurgia realizada na Polônia como um marco na história. Um ano após receber células da cavidade nasal para sua medula espinhal, Fidyka caminhou com o auxílio de um andador e recuperou parte das funções da bexiga e intestino.

"Quando começa a retornar (os movimentos), você sente que sua vida começou de novo, como se fosse um renascer", disse Fidyka à BBC britânica. "É um sentimento incrível, difícil de descrever", completou.

Darek Fidyka se recuperou de rompimento total dos nervos da coluna vertebral Reprodução Internet

Após três meses de exercícios, Fidyka começou a desenvolver músculos na coxa esquerda e seis meses após isso deus os primeiros passos. Segundo exames, o rompimento em sua medula espinhal se fechou após o tratamento.

O professor do Instituto de Neurologia do University College de Londres (UCL), Geoffrey Raisman, declarou em entrevista à emissora que este é um avanço mais "impressionante do que um homem caminhando na Lua."

Fidyka ficou paralisado da cintura para baixo em 2010 e não mostrava nenhum sinal de recuperação, mesmo com fisioterapia intensiva, desde então. Ele ficou paraplégico após ser esfaqueado diversas vezes.

O transplante de células foi feito por uma equipe médica da Polônia, coordenada pelo neurocirugião Pawel Tabakow da Universidade de Wroclaw. O neurocirurgião utilizou células nervosas do nariz de Fidyka para desenvolver tecidos seccionados. O motivo da escolha destas células se explica pelas suas características: as células nervosas da cavidade nasal são a única parte do sistema nervoso que se renova durante toda a vida. Os cientistas conseguiram reproduzir o mesmo no rompimento da coluna vertebral do búlgaro, com sucesso. 



Últimas de _legado_Mundo e Ciência