Por bferreira

Uruguai - Mais de 2,6 milhões de uruguaios foram às urnas ontem para escolher o sucessor do presidente José Mujica, a futura formação do parlamento (30 senadores e 99 deputados) e decidir em plebiscito se aceitam reduzir a maioridade penal de 18 para 16 anos. Mujica chegou de fusca para votar em apoio ao candidato governista e seu antecessor Tabaré Vásquez, de 74 anos. “Esperamos pelo melhor, o povo vai falar”, disse Vásquez, quando foi votar.

José Mujica, um ex-guerrilheiro de 79 anos, entrega aos uruguaios um país com legalização do aborto, do casamento homossexual e da produção, distribuição e venda de maconha. Houve também crescimento da economia com uma taxa média de 5,7% ao ano desde 2005. Este ano, o crescimento previsto é menor, de 3%, mais ainda assim superior ao que deve ser registrado nos países vizinhos Argentina e Venezuela.

O candidato da oposição Luis Alberto Lacalle Pou, do Partido Nacional (PN), disse na zona eleitoral onde votou, que está contente, tranquilo e consciente de sua responsabilidade como líder histórico do partido branco no pleito. O jovem deputado, filho do ex-presidente Luis Alberto Lacalle (1990-1995), chegou à seção eleitoral pouco depois de 12h (em Brasília) na cidade de Canelones, nos arredores de Montevidéu, rodeado de um grande números de seguidores. Foi recebido por curiosos, que lhe deram beijos e abraços.

Lacalle Pou, segundo lugar com 33% das intenções de voto atrás do governista Tabaré Vásquez, com 41%, conforme as pesquisas, tem grandes chances de avançar ao segundo turno. O candidato negou responder, mesmo após a insistência dos jornalistas, se buscará alianças com outros candidatos em caso dessa hipótese. Disse que vai esperar os resultados oficiais antes de se pronunciar. O oposicionista expressou sua “tranquilidade e esperança” com essa eleição, e disse esperar o veredicto das urnas com “paz e serenidade”, mesma maneira utilizada para conduzir sua campanha.

MORTOS EM CAMPANHA

Dois homens, um de 58 anos outro de 28, morreram eletrocutados por um cabo de alta tensão, quando tentavam fincar a bandeira da governista Frente Ampla (FA), em Atlântida, 40 km a leste de Montevidéu.

Você pode gostar