Por tamara.coimbra

Coreia do Sul - O Serviço Nacional de Inteligência (NIS) da Coreia do Sul disse nesta terça-feira que um cisto no tornozelo foi o motivo para os mais de 40 dias de desaparecimento do líder norte-coreano Kim Jong-un, que agora anda com a ajuda de uma bengala.

O "líder supremo" da Coreia do Norte se recupera de uma operação realizada entre setembro e outubro para a retirada do cisto, revelou o órgão sul-coreano em uma comissão parlamentar.

Kim Jong-un reapareceu sorridente e usando bengala na Coreia do Norte EFE

Segundo análises, é dito que foi um médico estrangeiro que operou Kim Jong-un após viajar para Pyongyang e é possível que o cisto reapareça, revelaram à agência "Yonhap" dois deputados que tiveram acesso aos serviços de inteligência. Os dois legisladores falaram com a imprensa local em Seul após uma auditoria parlamentar a portas fechadas com autoridades do NIS.

A reaparição de Kim Jong-un no dia 14 de outubro encerrou uma prolongada ausência que gerou diversas especulações, principalmente por parte da imprensa sul-coreana, que mencionou desde um suposto golpe de Estado até que o líder sofria de gota, diabetes, que tinha fraturado o tornozelo ou até mesmo que sofria morte cerebral.

Desde então, o líder apareceu em todas as fotografias apoiado em uma bengala, o que confirma que tem um problema de saúde, embora seja impossível comprovar com certeza do que se trata devido ao extremo sigilo sobre a elite norte-coreana e a família Kim.

Também foi revelado nesta terça-feira que os serviços de inteligência sul-coreanos calculam que a Coreia do Norte, país que aplica a pena de morte, executou cerca de 50 pessoas em 2014.

Você pode gostar