Por daniela.lima

Rio - Barulho o tempo todo, cheiro de mofo ou tinta, cadeiras que dificultam a postura certa, colegas gripados e ausência de luz natural. O ambiente de trabalho contribui para a saúde ou colabora para deixar o funcionário doente? De acordo com especialistas, diferentes fatores influenciam a qualidade de vida no escritório: da temperatura do ar condicionado à forma como o chefe lida com seus subordinados. 

Clique na imagem para ver o gráfico completoDivulgação


Segundo Márcia Bandrini, da Associação Nacional de Medicina no Trabalho, existe uma lista que toda empresa deveria levar em consideração ao pensar na saúde dos colaboradores. A qualidade e o nível de circulação do ar é um exemplo. Lugares secos causam irritação nas vias aéreas. Além disso, a oscilação de temperatura deixa o organismo vulnerável a doenças. “Ambientes muito frios ou muito calorentos também afetam o humor, tiram a concentração e diminuem a produtividade,” alerta a médica.

Produtos de limpeza, poeira, cheiro de tinta e mofo são ‘inimigos’ de muita gente. A médica explica que carpetes, tetos e paredes porosas acumulam poeira e ácaros, por isso devem ser limpos com mais cuidado.

O mofo aumenta a incidência de asma. “Os carpetes são bons para manter a acústica, mas devem ser em placas, para facilitar a troca”, aconselha. Em relação às pinturas e obras, recomenda-se tintas à base de água e um intervalo de pelo menos dois dias para que o expediente volte e as paredes sequem.

A barulheira também é uma reclamação. Para a especialista, paredes e divisórias podem ser fabricadas com material absorvente de ondas sonoras. “Impressoras devem ficar longe de quem depende de concentração, como setores de criação,” explica. Já o costume de falar alto, que é uma questão cultural, pode ser mudado, analisa Márcia. Educar-se para não atrapalhar colegas precisa ser uma tentativa diária de todos. 

Mesas e cadeiras devem ter altura ajustável, e apoios para os pés são essenciais. Ficar sentado por oito horas “é proibido”, diz Márcia. Uma dica é ter uma garrafa de água ao lado. “Você se obriga a levantar para enchê-la: se hidrata e acaba se mexendo”.

Marcia explica que o estresse também pode ser resultado de uma jornada de trabalho abusiva e de relações interpessoais ruins. Resultado: transtornos depressivos, males cardíacos, distúrbios do sono e problemas cognitivos.

Você pode gostar