Por daniela.lima

Lahore - Pelo menos 55 pessoas morreram e outras 120 ficaram feridas, neste domingo, em um atentado suicida do lado paquistanês da fronteira entre Índia e Paquistão, de acordo com último balanço feito pela polícia local. Há várias crianças e mulheres entre as vítimas fatais. 

Corpos de vítimas do atentado foram levados para hospital%2C onde eram reconhecidos por parentes e amigos. Autoridades condenaram ataqueEfe


O ataque aconteceu ao final da cerimônia diária, com música e desfile militar, em Wagah, a principal passagem da fronteira entre Índia e Paquistão, na saída de Lahore, capital da província de Punjab. Quando a multidão começava a deixar o local, uma forte explosão foi ouvida do lado paquistanês, informou o chefe da Polícia de Lahore, Amin Wains.

Segundo o chefe de um corpo de paramilitares da província de Punyab, Tahir Javed, o suicida não conseguiu passar pelo dispositivo de segurança da fronteira e detonou o explosivo logo na saída do posto fronteiriço, quando as pessoas deixavam o lugar.

AUTORIDADES CONDENAM

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, condenou o atentado, considerou-o chocante e apresentou condolências aos parentes das vítimas. As autoridades indianas anunciaram um reforço da segurança ao longo da fronteira.

O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, também repudiou o ataque e ordenou à polícia um rigoroso inquérito.

Três grupos ligados aos talibãs paquistaneses — Jundallah, Jamaat Ul Ahrar e uma facção do Waziristão do Sul — reivindicaram a autoria da ação.

Este é o atentado mais violento ocorrido no Paquistão desde setembro de 2013, quando uma explosão provocou 80 mortos numa igreja em Peshawar.

Você pode gostar