Por daniela.lima

Rio - A existência do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) não é novidade. E o comportamento de crianças com o mal também é conhecido. Mas especialistas alertam que nem todos os pequenos ‘diagnosticados’ têm realmente TDAH. 

É preciso identificar a real necessidade que os pacientes têm de tomar remédiosDivulgação


De acordo com o psiquiatra infantil Fábio Barbirato, da Associação Brasileira de Psiquiatria, desatenção, hiperatividade e impulsividade podem estar presentes também em depressão, ansiedade, doenças neurológicas, Transtorno do Espectro Autista, retardo mental, Transtorno do Humor Bipolar e dislexia.

Barbirato alerta que cabe ao psiquiatra fazer a diferenciação. Por exemplo, crianças com dislexia podem ter falta de atenção pela dificuldade em interpretar o que leem. No TDAH, diz, atividades de leitura não se alteram enquanto houver possibilidade de manter a atenção. “Na dislexia, a criança não precisa de remédio, mas de um fonoaudiólogo”, explica.

Ainda segundo ele, crianças autistas têm dificuldade em lidar com mudanças e, por isso, podem ter irritabilidade. No TDAH, a impulsividade se dá pela dificuldade de autocontrole, que leva a comportamentos irritáveis.

Em alguns casos, falta de atenção pode ser depressão. “A criança deprimida não tem interesse nem para brincar, por isso fica dispersa na aula”, explica.

Segundo Barbirato, o maior dano do erro no diagnóstico não é a medicação desnecessária, mas o tratamento que será errado e adiado. “Criança com autismo não tratada pode ter problema de sociabilização. Na dislexia sem tratamento, o risco de evasão escolar é maior”, afirma.

Pais têm como tirar dúvidas

O TDAH será um dos assuntos abordados no 2º Congresso Brasileiro de Psiquiatria da Infância e Adolescência, que acontece nos dias 5 e 6 de dezembro. Além do debate de temas relevantes para profissionais de saúde, o evento terá atividades para os responsáveis. Eles assistirão a palestras e poderão tirar dúvidas com especialistas em psiquiatria infantil. São 150 vagas e o preço para os dois dias de oficinas é R$ 80.

Com o tema ‘Modernidade, Ciência e Mitos em Psiquiatria da Infância e Adolescência’, o congresso será no Colégio Brasileiro de Cirurgiões, em Botafogo. Informações: [email protected] 


Você pode gostar