Por victor.duarte

Síria - Membros do grupo Estado Islâmico (EI) decapitaram nos últimos três dias pelo menos 17 pessoas na província de Deir ez Zor, no nordeste da Síria e próxima à fronteira com o Iraque, informou nesta quarta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As últimas execuções ocorreram nesta quarta-feira na cidade de Basira, onde um homem foi decapitado e posteriormente crucificado em uma cerca de um parque, acusado de fazer parte da polícia do regime sírio. Os extremistas executaram da mesma forma dois irmãos na cidade de Abriha.

Três homens observam um veículo incendiado no confronto entre forças iraquianas e o Estado IslâmicoEfe

Eles foram acusados de fazerem parte de facções rebeldes rivais ao EI. Outras duas pessoas foram assassinadas de maneira similar nesta terça-feira, em Al Mayadin, por negação da fé. Moradores da própria região os denunciaram ao grupo radical.

A essas vítimas se somam outros doze executados no domingo, alguns deles decapitados e crucificados, nas cidades de Deir ez Zor, capital da província de mesmo nome, Al Bukamal, Zyban e Shahil por serem suspeitos de lutar contra o EI ou fazerem parte das forças de segurança do regime.

O Estado Islâmico proclamou no mês de junho um califado em zonas do Iraque e da Síria. No mês seguinte, tomou o controle da maior parte da província síria de Deir ez Zor.

Você pode gostar