Exército iraquiano recupera duas cidades do controle do Estado Islâmico

Durante os confrontos desta segunda feira, três membros do EI morreram e dois milicianos ficaram feridos

Por O Dia

Iraque - O exército do Iraque, apoiado por voluntários e tropas curdas, recuperou nesta segunda-feira o controle das cidades de Al Saadiya e Yalula, na província de Diyala. Após vários meses sob o domínio do grupo radical Estado Islâmico (EI), as duas cidades foram alvo durante dias de uma ofensiva do exército iraquiano, apoiado por milicianos voluntários e os peshmergas, as forças da região autônoma do Curdistão iraquiano.

Fontes internacionais informaram que a partir de agora começa a segunda fase da operação, que consiste na desativação de possíveis carros-bomba e artefatos. O exército não permitirá que os moradores voltem para as duas cidades antes das casas da região serem vistoriadas. Nos enfrentamentos de hoje, três membros do grupo extremista morreram e dois milicianos voluntários ficaram feridos em uma aldeia perto do Al Saadiya.

Durante os confrontos de hoje%2C dois integrantes do grupo extremista morreramReuters


Além disso, um voluntário leal ao exército morreu e um sofreu lesões pela explosão de uma bomba na mesma região. Em Yalula, 17 peshmergas morreram e 31 ficaram feridos durante os choques com os radicais para libertar a cidade. Novos confrontos explodiram hoje no centro de Ramadi, capital da província de Al-Anbar, entre as forças de segurança (exército e polícia), apoiadas por combatentes tribais, e os radicais do EI. Não há informações sobre vítimas.

Além disso, duas pessoas morreram e oito ficaram feridas pela explosão de uma bomba em um mercado popular em Al Mahmudiya, em Bagdá, segundo a polícia. Em outro episódio de violência, um civil morreu e oito ficaram feridos pela explosão de uma bomba em um microônibus no bairro de Al Shab, em Bagdá.

Em junho, o EI lançou uma ofensiva relâmpago e assumiu o controle de vastas áreas do norte e do centro do Iraque, e no final deste mês proclamou um califado em partes deste país e da vizinha Síria. No dia 13 de novembro, o EI divulgou uma gravação atribuída a seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi, na qual anunciou a expansão do califado aos países do Golfo Pérsico e do norte da África, onde organizações radicais juraram lealdade ao grupo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência