Caminhão de lixo atropela e mata seis pessoas na capital da Escócia

Outras sete pessoas ficaram gravemente feridas; após atropelar os pedestres, o veículo ainda colidiu contra edifício

Por O Dia

Escócia - Um caminhão de lixo atropelou e matou seis pessoas que caminhavam em uma rua na região central da cidade de Glasgow, na Escócia, nesta segunda-feira. Outras sete pessoas ficaram gravemente feridas, segundo informou a polícia.

Seis pessoas morreram após serem atropeladas por caminhão de lixo na EscóciaEfe

Após atropelar os pedestres, o veículo ainda colidiu com a lateral do Hotel Millennium, próximo à estação de Queen Street, de onde partem trens para Edimburgo e o norte da Escócia. Pelo menos seis ambulâncias foram ao local para atender as vítimas, além de unidades dos bombeiros e da polícia de Glasgow.

Caminhão de lixo atropelou e matou seis pessoaEfe

O superintendente da polícia escocesa, Stewart Carle, afirmou que se trata de "um acidente de trânsito, não algo mais sinistro". Testemunhas do incidente falaram em vários corpos estendidos na calçada. O motorista do caminhão foi levado a um hospital, informaram as forças de segurança, que mantêm bloqueadas várias ruas do centro de Glasgow.

Uma testemunha, Melanie Greg, contou à rede de TV "Sky News" como o caminhão "simplesmente perdeu o controle" e subiu na calçada atingindo os pedestres. "Continuou acertando pessoas até que se chocou contra o edifício. Só isso o parou. Foi horrível, apavorante. As pessoas tentavam sair do caminho, mas quando algo como isso aparece atrás, como conseguiriam escapar?", questionou Greg.

"Havia gente a quem estavam tentando reanimar. Havia objetos espalhados pelo chão, escombros e presentes de natal por toda a rua", afirmou à rede "BBC" Janey Godlen, outra testemunha. A ministra principal da Escócia, Nicola Sturgeon, expressou sua solidariedade a todos os envolvidos no acidente e pediu aos demais cidadãos que estavam no centro de Glasgow que comuniquem a suas famílias que estão bem. Por sua vez, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, disse que seus "pensamentos" estão com as vítimas.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência