Misturas de chás com remédios fazem mal à saúde

Bebidas podem interferir no efeito dos medicamentos

Por O Dia

Rio - Em paralelo aos medicamentos, algumas pessoas optam por beber chás fitoterápicos, considerados como remédios naturais, para acelerar a cura de doenças. Mas essa mistura pode causar danos à saúde do paciente. Ao tomar as bebidas junto com as pílulas, podem ocorrer interações medicamentosas — quando há interferência de uma substância farmacológica na ação ou na absorção de remédio no organismo.

Essa interferência pode provocar o aumento ou anulação do efeito dos remédios, e piorar o quadro de saúde. Segundo Décio Alves, especialista em plantas medicinais, o paciente precisa procurar recomendação médica todas as vezes que quiser tomar chá com a intenção de tratar ou curar doenças.

“É preciso bom senso. Sem informação, as pessoas não têm noção do que estão fazendo nem do perigo que correm ao comprar esses pacotes sem uma consulta médica”, afirma Décio.

EFEITO REBOTE

Os problemas causados dependem da composição de cada chá e remédio. Por conter cafeína, por exemplo, o badalado chá verde pode trazer complicações para o paciente. Quando tomado de forma excessiva e ao mesmo tempo que um remédio para diminuir a pressão, esse chá pode inverter o efeito do medicamento, e provocar o chamado efeito rebote.

Já o de camomila, utilizado como tranquilizante natural, se interagir com um remédio para dormir, eleva o risco de aprofundar o sono, acarretando até mesmo problemas respiratórios.

Além de causar efeito contrário ao desejado do medicamento, as substâncias dos chás fitoterápicos também podem intoxicar gravemente o paciente, como a planta carqueja. A farmacêutica Carmelinda Affonso destaca que existem mais de 200 espécies dessa planta, mas apenas uma é medicinal.

“Todas as outras são tóxicas. Se uma pessoa não souber identificar qual é a ideal, corre risco de sofrer graves consequências. Tomar qualquer chá pode trazer uma confusão química no organismo”, adverte.

CONFIRA COMBINAÇÕES A SEREM EVITADAS

As embalagens de certos chás vendidos em lojas não informam corretamente sobre as substâncias e as composições de cada produto, alerta Décio Alves, especialista em plantas medicinais. Ele lembra ainda que os cuidados com as interações medicamentosas não valem somente para adultos, mas também para crianças. “Dependendo de qual chá os pequenos vão tomar, eles podem ficar mais agitadas ou até mesmo com com déficit de atenção”, alerta o especialista.

CAMOMILA OU MARACUJÁ COM REMÉDIO PARA DORMIR
A mistura aprofunda muito o sono e pode dopar a pessoa. Além disso, eleva o risco de acarretar problemas respiratórios, especialmente em obesos, que têm mais tendência a interrupções da respiração.

CHÁ PRETO COM ANTIDEPRESSIVOS
Causa o chamado efeito rebote, ou seja, inverte o efeito do medicamento. O chá tem alto teor de cafeína, por isso é estimulante. Pode causar mais ansiedade e depressão para pacientes que se medicam.

CHÁ PRETO COM EMAGRECEDOR
A combinação, se tomada em excesso, pode gerar pedras nos rins e insônia, por causa da cafeína do chá. Também provoca desidratação.

CHÁ VERDE COM REMÉDIO PARA PRESSÃO
Este tipo de chá, se ingerido de forma excessiva e ao mesmo tempo que remédios para diminuir a pressão arterial, pode inverter o efeito do medicamento, e causar o chamado efeito rebote.

CHÁ DE SENE OU SENA COM ANTIBIÓTICOS OU REMÉDIOS DE HORMÔNIOS PARATIREOIDE
Esse tipo de chá é usado como laxante. Por isso, pode acabar ‘liberando’ o antibiótico ou medicamento hormonal, sem dar tempo de eles fazerem efeito, prejudicando o tratamento.