François Hollande declara que franceses terão que ser 'cautelosos'

Presidente da França fez uma declaração após os atentados simultâneos que terminaram na morte de três terroristas

Por O Dia

Rio - Após os sequestros simultâneos que deixaram três terroristas mortos na França, o presidente François Hollande fez uma declaração sobre as ações dos policiais. O líder francês também elogiou a ação das forças de segurança e disse que as ameaças no país ainda não acabaram.

Sobre o alerta de terrorismo na França, Hollande afirmou que a segurança no país foi reforçada, porém é necessário que os franceses sejam "cautelosos". O presidente francês também fez um apelo a favor da união e disse que a França deve continuar "implacável" na luta contra o racismo e a islamofobia.

Presidente francês também elogiou a ação dos policiais e fez um apelo contra a islamofobiaEfe


Para evitar que a rejeição de muçulmanos se prolifere em território francês, Hollande fez um pedido para que os franceses rejeitem o anti-semitismo e o racismo. Também declarou que os "fanáticos" responsáveis pelos ataques "não têm nada a ver" com a religião muçulmana. "Na verdade, foi cometido um ato antissemita terrível", disse ele, se referindo ao sequestro no mercado em Paris.

Apesar da operação bem sucedida, o presidente francês disse que o país "enfrentou", mas “ainda não pôs fim, às ameaças de que é alvo”. “A França, apesar de estar consciente de as ter enfrentado, apesar de saber que pode contar com as forças de segurança, com homens e mulheres capazes de atos de coragem e bravura, ainda não acabou com as ameaças”, disse Hollande.

Por fim, Hollande agradeceu à solidariedade internacional e convocou a todos os franceses a participarem da manifestação em homenagem às vítimas do atentado à revista Charlie Hebdo, que irá acontecer neste domingo. A manifestação havia sido convocada logo após o atentado contra a revista satírica Charlie Hebdo.

Segundo informações da agência de notícias EFE, o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, irá participar das manifestações para expressar a solidariedade da Espanha. "Estarei em Paris neste domingo apoiando o povo francês. Espanha com França contra o terrorismo e pela liberdade", escreveu Rajoy em uma rede social.

Irão participar também da manifestação os primeiros-ministros da Alemanha, Angela Merkel, da Itália, Matteo Renzi e da Grã-Bretanha, David Cameron. O presidente americano, Barack Obama, declarou apoio aos franceses e afirmou que a "ameaça imediata" foi resolvida na França, mas é necessário permanecer vigilante. Também disse que os EUA estarão ao lado da França.

Com informações da Agência Brasil

Últimas de _legado_Mundo e Ciência