Câmeras de segurança registram terrorista procurada por sequestro

Hayat Boumeddiene é suspeita de participar do sequestro de um mercado judaico na periferia de Paris

Por O Dia

Rio - Hayat Boumeddiene, hoje a mulher mais procurada da França, estava na Turquia e seguiu para a Síria, confirmou o Ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlt Cavusoglu, nesta segunda-feira. Câmeras de segurança de um aeroporto turco registraram o momento em que a ex-namorada de Amedy Coulibaly, morto pela polícia francesa na última sexta-feira após fazer reféns em um mercado kosher de Paris, fazia check-in antes de embarcar para a Síria.


"Ela foi para Síria no dia 8 de janeiro", confirmou o ministro em entrevista à agência de notícias Anatolia. Uma fonte de segurança turca informou que Hayat entrou no país no dia 2 de janeiro, e que provavelmente viajou de lá até a Síria, levantando as suspeitas de que a mulher não estava no mercado kosher na última sexta-feira.

"(Hayat) Entrou na Turquia no dia 2 de janeiro, vinda de Madrid, há imagens", confirmou a fonte. "Ela estava com uma pessoa em um hotel de Kadikoy (um bairro da parte asiática de Istambul). Logo depois, foi paea a Síria no dia 8 de janeiro, segundo suas comunicações telefônicas", completou. De acordo com o jornal pró-governo Yeni Safak, o homem que estava com Hayat foi identificado como Mehdi Sabry Belhoucine, um cidadão francês de 23 anos.

Hayat Boumeddiene (à esq.) foi encontrada na TurquiaReuters


Ainda de acordo com o jornal turco, a procurada entrou pela Síria pelo posto de Akcakale, localizado na fronteira entre os dois países. Este é um dos pontos para os estrangeiros que se unem à grupos extremistas, como o Estado Islâmico. A polícia francesa emitiu uma ordem de busca contra a jovem, para determinar qual foi seu real papel no sequestro do mercado judeu na periferia de Paris.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência