Por paloma.savedra
Niamey - Ao menos sete igrejas foram incendiadas neste sábado em Niamey, capital do Níger, ex-colônia francesa, em protestos contra a charge de Maomé, publicada na revista francesa Charlie Hebdo. A maioria dos templos são protestantes. 
No segundo dia de protestos em Níger, pelo menos dois carros da polícia foram queimados por manifestantes do lado de fora da principal mesquita em Niamei depois que autoridades proibiram a marcha organizada pelos líderes muçulmanos locais. Não foram registradas vítimas.
Publicidade
A polícia disparou gás lacrimogêneo em centenas de manifestantes que atiravam pedras na capital do Níger, Niamei, neste sábado, no mais recente de vários protestos em ex-colônias africanas da França contra as charges do jornal francês Charlie Hebdo.
Na sexta-feira, pelo menos um policial e três civis foram mortos em manifestações contra as charges do Charlie Hebdo sobre o profeta Maomé na segunda maior cidade do Níger, Zinder, disseram fontes policiais.
Publicidade
Igrejas foram incendiadas, casas de cristãos saqueadas e o centro cultural francês atacado durante a violência em Zinder, disseram moradores. 
Igrejas foram incendiadas, casas de cristãos saqueadas e o centro cultural francês atacado durante a violência em Zinder, disseram moradores.
Publicidade
Marchas pacíficas ocorreram após as orações de sexta-feira nas capitais de outros países do oeste africano - Mali, Senegal e Mauritânia - e Argélia no norte da África, que são também ex-colônias francesas.
Em Argel, na Argélia, vários policiais ficaram feridos em confrontos com manifestantes revoltados com as charges.
Publicidade
Com Reuters