Por tabata.uchoa

Rio - Não é com suor na academia, nem sofrendo com dietas restritivas que o brasileiro mais mantém a saúde. O principal hábito para ser saudável é cuidar dos dentes. E o segundo lugar da lista também não é ocupado por nada relativo a alimentação e esporte: é passar tempo com a família. Os dados, de pesquisa feita em 23 países, revelam que, aqui, a população pensa diferente. Nas outras nações, dormir e comer bem são os principais gestos.

Aline e Ricardo com filhos Larissa e Bernardo. Nas pontas%2C noivo da jovem%2C Fellipe%2C e namorada do rapaz%2C Nathália. Labrador Junior e Mila%2C um teckel%2C completam a famíliaErnestto Carriço / Agência O Dia

De acordo com o levantamento, feito pela empresa GfK com 28 mil pessoas, cuidar da saúde bucal foi ato citado por 68% dos brasileiros. Logo em seguida, para 67%, está o hábito de conviver com parentes, amigos e animais de estimação. Em terceiro lugar, com 66% das citações, está dormir bem.

Marco Aurélio Chame, clínico geral do Hospital São Francisco na Providência de Deus, explica que passar bons momentos perto de pessoas queridas favorece a saúde física e mental: gera bem-estar e evita que o sistema imunológico fique enfraquecido. “Quando a parte emocional está abalada e a pessoa, triste, ficamos mais propensos a doenças”, cita.

Já o sono restaura a saúde, ajuda a fixar a memória e garante a boa produção dos hormônios. “Falta de sono pode causar depressão e ansiedade, que tem relação com problemas cardíacos”, disse. Simples e barata, a ação de cuidar da saúde bucal pode proteger o corpo inteiro, segundo o cirurgião-dentista Mario Groisman, da Associação Brasileira de Odontologia. Ele explica que há relação entre doença periodontal e problemas cardíacos.

“Estudos mostram que essa doença causa um processo inflamatório do organismo, com liberação de enzimas que podem afetar a saúde do coração”, explica, acrescentando que o mesmo mal está ligado a partos prematuros.

Cuidar da higiene bucal e valorizar momentos em família sempre estiveram presentes na vida da dentista Aline Franklin, 50 anos. Ela e o marido Luiz Ricardo, 56, também dentista, são casados há 29 anos, têm três filhos e três cachorros. Ela conta que sempre procura reunir toda família para as refeições: “Assim conversamos e ficamos atualizados da vida um do outro.” Momentos de lazer, como jantar fora, ir à praia e viajar também são em conjunto, e incluem os namorados dos filhos. “Eu me sinto muito feliz e mais calma quando chego em casa, à noite, e posso estar com meu marido e meus filhos”, diz. Filha do meio, a magistrada Larissa Franklin, 26, lembra que, na infância, o almoço do fim de semana era na casa dos avós, com tios e primos. Ela conta ainda que, devido à profissão dos pais, cuidar dos dentes sempre fez parte do cotidiano. “Como nosso dentista era nosso pai, nunca tivemos medo”.

O levantamento revelou ainda que 59% dos brasileiros citaram alimentação saudável e 57%, exercícios físicos, como principais meios de manter a saúde.

Dificuldade em se desconectar

Na hora de fazer uma pausa na tecnologia em nome da saúde, apenas 28% dos brasileiros realmente tomaram essa a decisão. Os países líderes nesse quesito foram Argentina e Estados Unidos (ambos com 47%). Segundo a pesquisa o mais ‘apegado’ à tecnologia foi a Índia, onde apenas 5% se desconectaram.
O estudo indicou ainda a liderança do Brasil quando o assunto é o cuidado da pele contra o sol.

Consumidores daqui são os que mais usam protetor solar (46%), seguidos pelo Canadá e Coreia do Sul (ambos com 43%) e por Austrália e Espanha (ambos com 42%).

Nosso país também é destaque no uso de cosméticos (47%), empatado com Estados Unidos. Nesse item, são superados pelos líderes Rússia, com 60%, e Alemanha, com 55%. A pesquisa foi feita em julho de 2014 e divulgada este mês. Participaram pessoas com idades acima de 15 anos.

Você pode gostar