Por paloma.savedra

Brasília - A Procuradoria de Paris apresentou, nesta terça-feira, em um tribunal, quatro homens suspeitos de cúmplices dos autores dos atentados realizados na capital francesa há pouco mais de uma semana.

Segundo a procuradoria, os suspeitos, de 22, 25, 26 e 28 anos, forneceram armas e veículos a Amédy Coulibaly, que matou uma policial no Sul de Paris no dia 8 de janeiro e, no dia seguinte, fez reféns em um supermercado de produtos judaicos em Paris.

Após matar quatro dos reféns, Coulibaly acabou morto pela polícia francesa. 

Os quatro foram detidos na noite de quinta-feira (15) e, conforme a procuradoria, o mais velho dos suspeitos é amigo de muitos anos de Coulibaly. A imprensa local também informou que vestígios de seu DNA foram encontrados em objetos usados pelo terrorista nos ataques.

Além dos quatro suspeitos, cuja acusação já foi apresentada pela Procuradoria de Paris, cinco pessoas foram detidas como parte das investigações sobre os ataques terroristas na capital francesa. Além da policial e dos quatro reféns mortos por Coulibaly, 12 pessoas foram assassinadas em um ataque contra a redação do jornal Charlie Hebdo, que havia publicado charges do profeta Maomé.

Você pode gostar